10 ofertas que na verdade não são ofertas

Shopping basket over white background

Shopping basket over white background

Todo consumidor quer sentir confiança na hora de fazer uma compra, seja em uma loja física ou pela internet. Muitas vezes, ao descobrir uma nova promoção, um comprador considera ter um benefício com a oferta, seja por causa do desconto ou da quantidade disponível a um custo reduzido.

De fato, quando uma empresa anuncia condições especiais de compra, ela precisa ser o mais honesta possível com seus clientes. Mesmo assim, o consumidor precisa ter muito cuidado com qualquer vantagem oferecida. Algumas dessas promoções, das mais simples às mais absurdas, são, na verdade, um grande truque.

Portanto, para não cair em armadilhas, esteja sempre atento a quais tipos de oferta são uma armadilha para o consumidor. Dê uma olhada nas “promoções” que o GuiaBolso.com listou para você…

 

1. Compre três pelo preço de dois

Essa é uma das ofertas mais comuns em grandes lojas e supermercados. Não se deixe cair pela quantidade. Primeiramente, veja se o produto é algo que vai fazer mesmo diferença em um maior número. Depois, confira o preço unitário e, se possível, compare o valor de outras lojas.

 

2. Preço mais barato pela internet

Normalmente, lojas virtuais tem preços mais baratos do que lojas físicas. Isso se deve ao número menor de impostos e custos que o comércio virtual possibilita. Ainda assim, sempre suspeite das promoções de alguns sites. O preço mais barato pode sair mais caro quando se acrescenta os impostos e a taxa de frete. Confira e simule todos os valores antes de finalizar a compra, para não se surpreender com a fatura final.

 

3. Queima de estoque

Esses são eventos bastante planejados pelas empresas e avisados com bastante antecedência ao consumidor. Geralmente, são prometidos preços incrivelmente reduzidos e, em determinadas lojas, até oferecem um novo horário de funcionamento, fazendo as pessoas esperarem em filas para conseguir comprar um produto.

O grande perigo das queimas de estoque é que elas criam na cabeça do consumidor uma sensação de que ele precisa adquirir uma determinada peça ou fazer aquela compra tão divulgada. Na hora de ir à loja, ele acaba sendo incentivado a levar sempre algo que ele não necessariamente precisa e só percebe o erro depois de ter se comprometido com o pagamento da compra.

 

4. Promoção de fim de negócio

Da mesma forma que a queima de estoque, as promoções de lojas que estão fechando as portas, podem ser uma forma de criar uma sensação de benefício ao comprador. Não seja influenciado pela ideia de que a empresa só quer se livrar do estoque. Investigue bem os valores ofertados e compare com outras lojas.

 

5. Garantias extras

Muitas redes de comércio oferecem uma extensão da garantia, ou seja, pedem um determinado valor ao cliente para que a garantia que já é ofertada no produto seja ainda maior. Pense bem antes de aceitar: será que você realmente precisa de mais um ano com possibilidade de troca? Avalie se sua compra pode ser substituída por um novo produto daqui a alguns anos ao invés de investir em garantias.

 

6. Listas de espera

Isso acontece principalmente no mercado da moda. Não confie totalmente em listas de espera para comprar um produto que não está no estoque. Procure por outras lojas e considere outras opções de marca. Você pode se surpreender com a economia que se consegue comparando preços e ofertas.

 

7. Oferta de “últimas peças”

Da mesma forma que as listas de espera, não se desespere ao ver que um produto que você deseja está com os dias contados do estoque. Hoje, com a internet, é muito mais fácil ter o poder de compra em lojas fisicamente distantes e, inclusive, com alguns fornecedores. Então, pesquise sempre por outras ofertas e não se deixe levar pela ameaça das peças contadas.

 

8. Preços absurdamente reduzidos

Quando encontrar algum produto marcado com um preço que beira o surreal, desconfie. Principalmente no ramo dos alimentos, valores reduzidos drasticamente podem significar que algo está errado com o produto. Procure por data de validade ou converse com os vendedores sobre a origem da remessa. Novamente, compare preços de outras lojas.

 

9. Cartões fidelidade

Não se deixe seduzir por novas formas de pagamento ou descontos oferecidos por cartões fidelidades de lojas. Eles estimulam compras compulsivas e facilitam o endividamento do consumidor. Se for o caso desses cartões serem habilitados como cartões de crédito, tome cuidado, já que as tarifas cobradas podem chegar ao dobro do valor dos cartões bancários.

 

10. Cartão de pontuação

Assim como os cartões fidelidade, os de pontuação também podem fazer com que o consumidor se sinta motivado a comprar em exagero, apenas para ganhar as recompensas oferecidas pelo programa de pontos. Evite se cadastrar nesses sistemas de desconto e reveja o quanto, de fato, você pode salvar em descontos com um cartão desse tipo. Eles não são formas de se fazer economia.

 

Promoções poder ser ótimas para seu controle financeiro. Porém, saiba identificar o que será realmente positivo para seu bolso.

Já conhece o novo GuiaBolso? Acesse GuiaBolso.com, seu controle financeiro + inteligente.]]>