Dicas para fazer bom uso do 13º salário

BlackFriday

banner-GB

Chega final do ano e as pessoas querem engordar a ceia de Natal, distribuir presentes e, claro, iniciar o ano seguinte com mais tranquilidade financeira. Isso é possível para grande parte da população devido ao 13º salário, também conhecido como gratificação natalina. Neste ano, os empregadores têm até dia 30 de novembro para pagar a primeira parcela do 13º salário.

Segundo o Dieese, a estimativa é que a bonificação injete na economia cerca de R$ 173 bilhões. Boa notícia para o comércio, que está com vendas fracas este ano. Mas, antes de gastar todo o dinheiro, os consumidores devem lembrar que janeiro é um mês de altos gastos e que, para quem tem dívida, a prioridade deve ser quitar as prestações. Thiago Alvarez, sócio-fundador do Guiabolso, primeiro aplicativo de controle financeiro automático e gratuito do Brasil, dá dicas para os consumidores fazerem bom uso do dinheiro que vai entrar.

Dicas para usar bem seu 13º salário

Se está endividado:

– Priorize o pagamento da dívida. Vale a pena quitar os débitos o quanto antes para conseguir, no próximo ano, comprar presentes de Natal e marcar aquela viagem tão sonhada sem culpa.

– Aproveite o dinheiro que vai entrar e renegocie sua dívida com o credor, sugerindo o pagamento de parte à vista e refinanciando o restante a juros menores.

– Se você está pagando juros do cheque especial ou rotativo do cartão de crédito (os mais caros do mercado) vale a pena pegar um empréstimo mais barato, como o empréstimo pessoal ou consignado, e quitar a dívida cara.

Estamos falando em trocar uma dívida com juros de 200% (cheque especial) ou até 400% (rotativo do cartão) por uma de 50% ao ano (empréstimo pessoal).

Se terminou o ano sem dívidas, mas sem dinheiro também:

– É muito tentador usar o dinheiro do 13º para engordar a ceia de Natal, comprar o presente que seu filho tanto pediu ou ainda marcar aquela sonhada viagem. Mas a ordem aqui é se planejar para janeiro, mês de contas extras.

– Guarde o dinheiro do 13º salário para pagar o IPTU, IPVA, matrículas diversas, material escolar, de tiver filhos, e outras despesas extras que possam surgir no primeiro mês do ano.

– Muitas pessoas gastam todo o 13º com presentes de Natal, viagens e itens que não são essenciais e depois têm dificuldade em enfrentar janeiro. Vale muito a pena segurar agora para não se apertar no início do ano, recomenda Thiago Alvarez, sócio-fundador do Guiabolso, aplicativo de controle de despesas automático e gratuito.

Se não tem dívidas e fez uma reserva financeira durante o ano:

– Parabéns pelo hábito de poupar. Este é o primeiro passo para a tranquilidade financeira. A recomendação nesse caso é aplicar o dinheiro do 13º em investimentos mais rentáveis e seguros, como Fundos DI e CDBs de bancos médios. No Brasil, o Fundo Garantidor de Crédito (FGC) assegura sua aplicação até R$ 250 mil por instituição financeira.

– Você até pode usar uma parte do dinheiro para adiantar os presentes de Natal e conseguir preços melhores, mas não se esqueça de que janeiro é um mês de grandes gastos (IPVA, IPTU, matrículas e reajustes).

– Continue mantendo o hábito de poupar e faça um planejamento para seu salário no ano que vem. Há aplicativos, como o Guiabolso, que são fáceis de usar e totalmente automáticos para te ajudar com isso.

– A recomendação é que você dedique pelo menos 15% do salário para investimentos. Outros 50% no máximo para pagar as despesas essenciais (moradia, transporte, mercado, educação, saúde) e os 35% restantes pode gastar em estilo de vida (lazer, alimentação fora de casa, viagens e compras diversas), explica Thiago Alvarez, sócio-fundador do Guiabolso.

banner-GB-2
Leia também:

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *