Montando um plano financeiro personalizado em 3 passos

save money

save money

Comprar uma casa própria, o carro do ano, fazer uma viagem internacional, planejar o futuro dos filhos. São sonhos de muita pessoas, não são? Afinal, quem não quer garantir um futuro tranquilo, com possibilidades de conforto e lazer?

Porém, você sabe por que grande parte dessas pessoas sequer chega a alcançar algum desses objetivos? Porque não se planejam! Isso mesmo. Para que você possa desfrutar de uma vida equilibrada e tranquila é preciso montar um plano.

Montar seu planejamento é simples. Quer saber como? Siga nossos três passos:

 

Passo 1: Estipule orçamentos baseando-se em quanto você ganha

Para cumprir esse passo, você vai precisar fazer um somatório exato de quanto você ganha. Se você for empregado, mencione o valor exato do seu salário. Se for autônomo, freelancer ou empresário, faça uma média do seu ganho nos últimos 3 meses. Se você for casado, sente-se com sua família e descubra qual a renda familiar total.

De posse desse número, você deve começar a estipular seu orçamento mensal (plano de gasto do seu mês), que nada mais é do que a definição de valores para as categorias de despesa com as quais você convive (moradia, transporte, lazer, por exemplo). Para o registro desses valores, é interessante que você use alguma ferramenta de controle financeiro, como uma planilha, por exemplo.

Leia também: “Planilha de gastos no Excel ou controle financeiro online? Descubra a melhor opção.”

Veja um exemplo desse primeiro passo:

Se sua renda mensal for de R$ 3.000,00 e você morar sozinho, seu orçamento do mês pode ser dividido da seguinte maneira:

1. Despesas de moradia (aluguel, condomínio, luz, telefone etc.)

Valor destinado: R$ 1.000,00

2. Despesa com transporte

Valor destinado: R$ 90,00

3. Despesa com mercado

Valor destinado: R$ 200,00

Basta listar suas fontes de gastos mensais tomando como base o que você gastou no mês anterior.

O segredo é eleger um valor máximo para cada categoria e jamais ultrapassá-lo. Com uma visão mais ampla da sua situação, caso você descobrir que está precisando enxugar algum custo evitável ou desnecessário, faça isso imediatamente.

O importante é definir um plano financeiro que faça sentido para você de acordo com seus objetivos. Além disso, não adianta elaborar um plano com valores que você não será capaz de seguir.Portanto, seja realista no momento da elaboração.

 

Passo 2: Estabeleça metas claras

De que adianta ser organizado e econômico se você não tem algum plano sobre o que pretende fazer com suas economias? Sim, essa é a tarefa do passo 2. Agora que você já tem um “raio-X” da sua situação financeira, vai poder planejar (em médio ou longo prazo) como fazer para alcançar seus objetivos. Para isso, é interessante destrinchar seus objetivos maiores em meta menores. Tente fazer isso da seguinte maneira:

Objetivo: viajar com a esposa para a Europa, durante 15 dias.

Previsão de custo:  R$ 10.000,00  aproximadamente.

Estratégia para a conquista:

– Economizar R$ 5.000,00 em 12 meses;

– Vender alguns móveis e aparelhos eletrônicos que não preciso mais, com soma das vendas avaliada R$ 2.000,00;

– Comprar passagens de ida e volta, parcelando em 6 vezes sem juros.

É claro que isso é só um exemplo e os valores são fictícios. Mas dá para entender como você deve fazer com cada desejo de consumo. Assim, você deve se policiar e evitar gastar sem necessidade. Se empenhando, você vai encontrar maneiras de economizar cada vez mais, para que seu alvo fique mais próximo.

 

Passo 3: Cultive o hábito de poupar (ou investir) e de registrar tudo

Agora que você já categorizou suas despesas e deu destino para cada centavo que ganha, a dica é: destinar um valor para uma poupança ou investimento. Cultivar o hábito de poupar é fundamental para sua tranquilidade. A sugestão é deixar pelo menos 10% dos seus rendimentos na poupança (ou previdência) e com mais 10% você pode começar a investir. E não pense que investir é só para quem tem muito dinheiro, existem modalidades de investimento viáveis para todos os perfis, basta se informar.

Etapa concluída, não deixe de usar (ou usar um dos diversos modelos disponíveis na internet) uma planilha de registro de gastos para registrar tudo. A ideia é anotar tudo o que entra e sai da sua conta bancária, carteira, cartão de crédito. Assim, você evita sustos no final do mês. Acompanhar seus gastos diariamente ajuda muito a prever se você vai extrapolar algum orçamento ou se ainda há espaço para gastar.

 

Já começou a criar seu plano financeiro personalizado? Monte o seu e alcance todos os seus objetivos.

Comentários

comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *