Não consigo pagar as parcelas do meu financiamento. O que devo fazer?

Young couple calculating their domestic bills

Young couple calculating their domestic bills

Muitos acabam dando passos largos na hora de alcançar o próprio sonho. E, infelizmente, nesta história, entram endividamentos com os velhos sistemas de crédito, como o financiamento. Se você não pesquisou se poderia encaixar as parcelas em seu orçamento ou se ficou desempregado e não conseguiu mais sustentar os pagamentos deste empréstimo, saiba que você não está sozinho. Esta também é a realidade de muitos brasileiros.

No caso dos automóveis, segundo dados da Agência Nacional das Empresas Financiadoras das Montadoras (Anef), somente para financiamento realizados até o final de 2013, a inadimplência acima de 90 dias ocorria em 6% dos casos e os atrasos acima de 30 dias ficaram em 8,2%. O relatório, apesar de garantir queda nestas taxas, se mostrou alarmante.

Faz parte desta estatística? Quer saber como sair dessa realidade e ter suas dívidas pagas? Então, confira, agora, dicas para que as parcelas de seu financiamento não virem mais um pesadelo!

 

Mantenha sua vida financeira sob controle

A primeira coisa a se fazer, quando se está em uma situação como essa, é se organizar. Por isso, é importante saber exatamente quanto de renda você recebe mensalmente, quanto destes recursos estão comprometidos com despesas essenciais – como aluguel, água, eletricidade, alimentação, educação – e outras despesas correntes e verificar se o restante de seu orçamento é realmente compatível com as parcelas de seu financiamento.

Além disso, esta é uma etapa importante se você pretende renegociar a sua dívida com o banco. Pois, somente dessa forma, você saberá exatamente quais são as propostas que caberão no seu bolso durante o acordo.

 

Renegocie seus débitos

Esta é uma opção geralmente bem aceita, tanto pelos bancos, quanto pelos devedores. Com a renegociação das parcelas vencidas e daquelas que ainda não foram pagas, é possível diminuir o valor das mensalidades e, ainda, acabar com o aumento dos juros e das multas.

Nessa hora, é importante demonstrar ao banco que você está disposto a quitar os seus débitos. Para isso, exponha detalhadamente como anda a sua situação financeira. Dessa forma, é mais fácil chegar a algum acordo e verificar quais possibilidades podem se adaptar ao seu orçamento: uma diminuição dos juros, a diminuição no valor das parcelas e o aumento do número de mensalidades e, ainda, pagar à vista uma parte destes débitos.

E atenção: não esqueça de analisar se a contraproposta elaborada pelo banco é compatível com seu orçamento. Segundo o Procon-SP, este é um erro muito frequente em renegociações de débitos. E, em muitos casos, o inadimplente acaba voltando para a lista dos nomes sujos.

 

Avalie a necessidade daquela aquisição

Se a renegociação ainda não couber em seu orçamento, é hora de avaliar se você realmente necessita daquele bem financiado. Ou, ainda, se este sonho precisa ser adiado, pelo menos por algum tempo. Caso você acredite que abrir mão da aquisição é o único caminho, você pode vendê-lo ou devolvê-lo ao banco.

Entretanto, é preciso lembrar que enquanto não tiver certeza de que pode assumir esta dívida novamente você deve se organizar e não voltar a contrair débitos que não cabem em seu orçamento.

 

Não tenha medo, busque ajuda

Além de defender seus direitos de consumidor, os órgãos de proteção – como o Procon  – podem auxiliá-lo neste processo. Para isso, é necessário que você se dirija a algum de seus estabelecimentos e receba as orientações sobre planejamento financeiro e apoio para as suas renegociações. Dessa forma, fica bem mais fácil de conseguir pagar suas dívidas com as instituições financeiras e voltar a ter uma vida mais tranquila.

Além disso, você pode participar dos feirões e eventos promovidos pela Serasa Experian. Nestes espaços, é possível analisar como anda a sua situação com o sistema de proteção ao crédito e negociar, diretamente com a empresa credora, formas de liquidar as suas dívidas.

Com taxas de juros e multas intermináveis, o seu financiamento pode se tornar insustentável. Por isso, caso perceba que não pode pagar as parcelas deste empréstimo, o melhor a se fazer é entrar em contato com o banco e verificar as possibilidades de quitá-las. Lembre-se que o seu sonho pode estar em risco de virar um pesadelo.

 

E, você? Tem alguma dica ou sugestão para aqueles que pretendem quitar as parcelas do financiamento, mas não conseguem? Não esqueça de compartilhar suas ideias, opiniões e experiências nos comentários abaixo!

 

Comentários

comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *