8 passos para sair do cheque especial

Cheque especial

cheque especial

Não é nenhuma novidade que o cheque especial representa um grande risco para o equilíbrio financeiro — até porque esse tipo de crédito pré-aprovado apresenta uma altíssima taxa de juros. O limite oferecido pelos bancos teoricamente deveria ser usado apenas em casos de emergência, mas a facilidade no uso recurso fazem com que os correntistas disponham dele sem  muito critério.

Qual o resultado de tamanho descontrole? Juros sobre juros e uma dívida que, aos poucos, vai virando uma bola de neve. Quer descobrir como sair do cheque especial e impedir que ele vire o bicho-papão das suas finanças? Então confira as dicas que preparamos para você:

1. Descubra qual é a real situação da sua conta corrente

O primeiro passo para sair do cheque especial é descobrir em que pé anda sua situação financeira. A melhor forma de fazer isso é mapear os gastos do último mês, seja através de extratos, de uma planilha financeira ou de uma ferramenta de controle financeiro online, como o GuiaBolso. Saber o tamanho do rombo, é a primeira estratégia a ser tomada para saná-lo.

2. Procure seu gerente

Devidamente informado sobre o tamanho do rombo do cheque especial, procure seu gerente para conversar. Durante a conversa, solicite uma negociação ajustada ao seu orçamento. Mas não tenha pressa! Se a proposta não for o que espera, faça uma contraproposta e negocie até chegar a um bom acordo.

Não se esqueça de esclarecer todas as suas dúvidas sobre valores, prazos, parcelas e juros. Também é importante lembrar que para quitação à vista, as instituições financeiras costumam oferecer descontos atrativos.

3. Certifique-se de que poderá quitar as parcelas

Se você não puder cobrir o cheque especial de uma única vez, opte por um refinanciamento com parcelas suaves e juros menores. Prestações altas demais podem impedi-lo de honrar o compromisso — afinal, seus gastos mensais não se resumem ao pagamento dessa dívida. Daí a importância de organizar suas contas mensais antes de ir buscar uma renegociação no banco.

4. Substitua o cheque especial pelo crédito consignado

Parece loucura sugerir que você pague uma dívida assumindo outra, mas essa estratégia pode ser muito inteligente e eficaz se você substituir uma dívida por outra que cobre juros menores. Uma boa troca para a dívida do cheque especial (cujos juros beiram os 150% ao ano) é contratar um empréstimo consignado, que tem uma média de 23% de juros ao ano.

Normalmente, o crédito consignado é facilitado com parcelas mais suaves, descontadas diretamente na folha de pagamento.

5. Corte todos os gastos que puder

Os momentos de sufoco são uma ótima oportunidade para mudar hábitos e reavaliar todas as despesas. Será que você ainda precisa mantê-las? Procure, por exemplo, economizar nas despesas domésticas e cortar gastos não essenciais, como um passeio no fim de semana ou um plano de TV a cabo.

6. Use o dinheiro extra para diminuir o tamanho da dívida

Quando se está endividado, todo dinheiro extra deve ser guardado para renegociar uma quitação à vista. Assim, aumentam as chances de um abatimento considerável dos juros. Abonos, 13º salário, gratificações, remuneração por trabalhos temporários, férias e bônus podem ser grandes aliados para reequilibrar as finanças e sair, de uma vez por todas, do cheque especial.

7. Corte o mal pela raiz

Se você costuma ser impulsivo na hora das compras, uma boa pedida depois do susto de perder o controle do cheque especial é cancelar esse serviço para não correr o risco de cair em tentação novamente.

8. Crie uma reserva de emergência

Imprevistos acontecem e o cheque especial costuma nos salvar nesses momentos. Afinal, ninguém está livre de tomar uma multa ou ter alguma despesa médica inesperada. Para não ficar sujeito ao cheque especial cada vez que o inesperado ocorrer, coloque como objetivo a criação de uma reserva de emergência.

A melhor forma de estruturá-la é poupar 15% do salário mensal, depois que as contas estiverem equilibradas.

Comentários

comentários

One Comment

  1. Boa tarde família do GuiaBolso,
    Pois é eu fiz exatamente isso para sair de uma vez por todas do tal cheque especial, fiz um empréstimo e daqui um ano quero ter terminado de pagar, o prazo ficou um pouco longo eu sei mais já com este empréstimo paguei também uma outra dívida, ou seja de um valor que oscilava todo mês agora sei quanto terei de pagar por mês, há e a conta também fiz o fechamento pois já não justificaria ficar pagando taxas e mais taxas por este capricho de ter conta cheque especial pois isso é uma grande tentação, ainda mais nos dias de hoje com juros tão elevados.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *