GuiaBolso: suas finanças organizadas em 2 minutos Começar.
 

O que é VGBL e quando vale a pena? Entenda aqui!

banner-GB

aposentado-contribuinte-mesmo-apos-aposentadoriaA previdência privada é uma opção para quem quer garantir uma renda melhor no futuro, fugindo da dependência dos benefícios previdenciários pagos pelo INSS, cada vez mais defasados. No Brasil, existem dois tipos de planos oferecidos ao público: o VGBL (Vida Garantidor de Benefício Livre) e o PGBL (Plano Garantidor de Benefício Livre).

Conhecer bem as características do plano escolhido é fundamental para que, no futuro, sejam alcançados os resultados desejados. Para auxiliá-lo, vamos mostrar neste post o que é VGBL e quando ele é a melhor opção.

O que é VGBL?

O VGBL é uma modalidade de previdência privada, voltada para as pessoas que não precisam realizar a declaração anual de Imposto de Renda ou utilizam o modelo simplificado, já que os valores aportados não podem ser deduzidos da declaração, ao contrário do que ocorre no PGBL até o limite de 12% dos rendimentos brutos.

O grande diferencial do VGBL está na tributação que ocorre no momento do resgate ou renda mensal (conforme escolha na contratação do plano). O Imposto de Renda terá incidência apenas sobre a rentabilidade acumulada (ganho de capital). Nos planos PGBL, o IR incide sobre todo o valor resgatado (a quantia recebida).

Quando o VGBL aparece como alternativa?

Uma vez que, para usufruir dos benefícios fiscais do PGBL, o investidor deve preencher alguns requisitos, o VGBL é a melhor opção também para quem não é segurado do Regime Geral de Previdência Social (INSS) ou de qualquer regime próprio oficial.

Já que a legislação permite a contratação de diferentes planos, especialistas costumam indicar o VGBL para quem já possui um plano PGBL e pretende aplicar um valor que supera os 12% fixados como limite para a dedução. Neste caso, o VGBL seria o destino dos recursos excedentes, que não poderiam ser contemplados pelo benefício fiscal.

Embora os planos de previdência privada sejam recomendados para quem pretende efetuar os resgates a longo prazo, nada impede que as retiradas sejam realizadas em pouco tempo. Por isso, outro fator deve ser levado em consideração e escolhido conforme o perfil do investidor: o regime de tributação.

Fique atento ao regime de tributação

A tabela regressiva privilegia aqueles que deixam o dinheiro investido por mais tempo, já que é reduzida gradativamente com o passar dos anos. Enquanto a alíquota de Imposto de Renda chega à casa dos 35% quando o resgate ocorre em até dois anos, a partir do décimo ano é reduzida a apenas 10% (que incidem sobre a rentabilidade, no caso do VGBL).

Para quem pretende investir por um tempo reduzido, a tabela progressiva é mais interessante. A progressão acompanha os moldes da tabela que determina a alíquota que incide sobre os salários, não ultrapassando 27,5% no patamar mais elevado. Se a renda mensal estimada para o plano for baixa, beirando a faixa de isenção, a tabela progressiva também é a mais indicada.

Saber o que é VGBL é muito importante no momento de definir as características de seu plano de previdência privada. Lembre-se de levar em conta o seu perfil de investidor e suas perspectivas para o futuro. Na sua opinião, qual o melhor plano? Deixe sua opinião nos comentários.

banner-GB-2

Leia também:

– Compare 6 opções de empréstimo pessoal online
 As 4 melhores planilhas de gastos pessoais para o seu dinheiro
 Planilha de gastos no Excel ou controle financeiro online?
 Planilha de gastos mensais: como fazer?

Comente!

comentários

 
 

 

Baixe agora o aplicativo de
controle financeiro do GuiaBolso!

Baixe na AppStore Baixe na Google Play