GuiaBolso: suas finanças organizadas em 2 minutos Começar.
 

Caderneta de poupança: conheça 4 motivos para não investir

banner-mktplacedireto-2

66982-caderneta-de-poupanca-conheca-x-motivos-para-nao-investir“Sobrou dinheiro? Coloca na poupança!”. Essa provavelmente é uma das frases mais repetidas pelos brasileiros quando o assunto é finanças pessoais. Não é a toa que esse é o tipo de aplicação mais popular do país. De acordo com o Serasa Experien, 69,5% das pessoas que possuem investimentos preferem a modalidade aos outros produtos disponíveis no mercado.

Apesar de popular, será mesmo a caderneta de poupança o melhor tipo de investimento a ser realizado? Será mesmo o investimento mais seguro? Nesse post, mostramos 4 motivos para você passar longe da caderneta de poupança e pensar agora mesmo em realocar o seu dinheiro. Confira logo a seguir!

1. A poupança perde para a inflação

Mesmo os que têm a consciência de que a poupança não protege o dinheiro contra a alta dos preços (inflação), ou seja, não gera um rendimento efetivo, se surpreenderam negativamente no ano passado. Enquanto que a inflação, medida pelo IPCA, ficou em 10,67%, a rentabilidade da caderneta de poupança ficou em 8,07%. Uma diferença e tanto!

Em resumo, as pessoas que resolveram aplicar o dinheiro na caderneta acabam perdendo o poder de compra. Esse é um grande sinal de alerta, principalmente em um país que passa por uma crise. É fundamental apostar em alternativas mais rentáveis.

2. Existem opções mais atrativas e seguras

Mesmo se a caderneta de poupança não estivesse apresentando rendimentos abaixo da inflação, o fato é que essa opção nunca rendeu frutos efetivos para quem aplica dinheiro dessa forma. Então o que fazer com o dinheiro? Não, você não precisa fazer investimentos arriscados para garantir rendimentos. Hoje existem opções muito seguras e rentáveis no mercado.

Como exemplos, podemos falar sobre a LCI (Letra de Crédito Imobiliário), LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), Certificado de Depósito Bancário (CDB) e o Tesouro Direto. Todas elas apresentam garantias para quem vai aplicar e rendem muito mais do que a poupança, permitindo que você realmente planeje o seu futuro.

3. Diversificar sempre foi a melhor estratégia

O fato é que a forma mais prudente e segura de administrar o dinheiro é diversificando as suas aplicações. Assim, além de garantir a proteção do seu dinheiro, você também aumenta as chances de vê-lo render muito mais. É fundamental estudar bastante e, sempre que possível, contratar serviços de consultoria em finanças pessoais, para procurar os melhores investimentos. Assim você constrói, de fato, os degraus que precisa para ter o futuro que tanto almeja.

4. Não rende diariamente

Diferentemente de investimentos como o CDB e fundos DI, em que o rendimento é diário, na poupança, só há rendimento a cada 30 dias. Assim, se você aplicar o dinheiro após receber o salário e o saca daqui 15 dias é como se esta quantia não tivesse sido aplicada. 

Apesar da regra prejudicial aos investidores, na prática, quando a pessoa já possui a conta poupança há muito tempo, acaba tendo rendimento quase todos os dias porque em geral os depósitos foram feitos em vários dias diferentes. Assim, se você resolver sacar no dia 5 do mês, o sistema do banco já busca o dinheiro que foi depositado no dia 4 ou 5, para que ele já tenha rendido.

Gostou das nossas dicas de hoje? Então nos acompanhe no Facebook e fique por dentro de mais conteúdos assim!

banner-mktplacedireto-1

Leia também:

– Compare 5 opções de empréstimo pessoal online
 As 4 melhores planilhas de gastos pessoais para o seu dinheiro
 Planilha de gastos no Excel ou controle financeiro online?
 Planilha de gastos mensais: como fazer?

Comente!

comentários

 
 

 

Baixe agora o aplicativo de
controle financeiro do GuiaBolso!

Baixe na AppStore Baixe na Google Play