GuiaBolso: suas finanças organizadas em 2 minutos Começar.
 

Conheça as 5 maiores pegadinhas dos CDBs

banner-mktplacedireto-2

65143-conheca-as-x-maiores-pegadinhas-dos-cdbsDepois da poupança, o CDB é provavelmente a aplicação financeira mais conhecida entre os brasileiros. E não é por acaso: os CDBs podem ser uma boa alternativa na renda fixa, oferecendo baixo risco e podendo gerar rentabilidades interessantes.

No entanto, ao contrário do que muita gente pensa, cada aplicação desse tipo é única e conta com características próprias. Em outras palavras, os CDBs não são todos iguais. Enquanto alguns deles podem ser muito vantajosos e trazer um bom retorno, existem outros que chegam a render menos do que a própria poupança.

Como investidor, você sem dúvida quer saber onde está colocando seu dinheiro, não é mesmo? Por isso, preparamos este post para mostrar as 5 maiores pegadinhas dos CDBs.

Ah, e é claro: também vamos mostrar o que fazer para passar longe dessas “furadas” e proteger o seu tão suado dinheiro. Vamos lá?

1. “Você pode resgatar seu dinheiro a qualquer momento”

Muitos dos grandes bancos oferecem CDBs com liquidez diária, isto é, aplicações em que o dinheiro pode ser retirado a qualquer momento. Porém, muitos investidores se esquecem do fato de que o CDB sofre incidência do Imposto de Renda. Quanto antes você retirar sua aplicação, mais imposto pagará (a variação é de 15% a 22,5%). Além disso, se você decidir resgatar o dinheiro nos primeiros 30 dias, também terá que pagar IOF.

Outro ponto importante a ser ressaltado é que, na maior parte das vezes, essa alta liquidez compromete o rendimento. Basta fazer um comparativo rápido para perceber que os CDBs sem liquidez diária costumam oferecer rentabilidades muito mais atrativas.

2. “Só os grandes bancos são seguros e rentáveis”

Essa é outra pegadinha dos CDBs (nem sempre a culpa é dos bancos, mas também da crença popular). Se você reparar, a maioria das pessoas acha que só é seguro investir em renda fixa por meio dos grandes bancos. O problema é que dificilmente eles oferecem os CDBs com melhor rentabilidade. Pelo contrário: os melhores CDBs geralmente estão nos bancos de pequeno e médio porte.

Em termos de segurança, esses bancos menores contam com o mesmo tipo de garantia dos grandes. Os investimentos de até R$ 250 mil são protegidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Ou seja, se o banco quebrar o FGC garante o pagamento do seu investimento se ele somar até este valor.

3. “Nosso investimento mínimo é abaixo da média”

Os bons CDBs costumam exigir um investimento mínimo relativamente alto (por exemplo, de alguns milhares de reais). Porém, às vezes aparecem bancos oferecendo CDBs “baratinhos”, com aplicações iniciais bem baixas.

Como investidor, desconfie sempre dessas ofertas — normalmente esses CDBs têm rentabilidades bastante baixas. Às vezes pode compensar juntar um montante maior até resolver aplicar no CDB. Com certeza você conseguirá negociar taxas melhores.

4. “Como não há taxa de administração, é melhor que o fundo”

Quando você pergunta sobre um CDB para o seu gerente, muitas vezes ele vai falar apenas da rentabilidade e reforçar que o CDB não possui taxa de administração. É verdade, mas isso não significa que por isso ele será melhor que um fundo.

Os bancos costumam “cobrar” a sua parte diminuindo um pouco o porcentual do CDI da remuneração. Assim, ao invés de oferecer 95% do CDI, oferecem 85% por exemplo. Na prática, é como tivessem cobrando uma taxa. Sempre compare as rentabilidades líquidas das aplicações para saber ao certo o que vale a pena em termos de retorno.

5. “CDI? O que é isso?”

Sem entender o que é o CDI, fica bastante difícil compreender a rentabilidade do seu CDB — e essa informação não pode ser omitida dos correntistas. Exija do seu gerente uma boa explicação de como funciona o CDB. O Certificado de Depósito Interbancário (CDI) é uma taxa cobrada em empréstimos realizados entre os bancos. Essa taxa serve como parâmetro para calcular o rendimento de muitas aplicações de renda fixa, incluindo a maioria dos CDBs.

Por isso, sempre faça a seguinte pergunta ao seu gerente: “Esse CDB rende quanto porcento do CDI?”. Depois, compare a resposta com CDBs de outras instituições financeiras. Só assim você saberá se está fazendo um bom investimento.

Muitas armadilhas e cuidados, né? O importante é que agora você já sabe quais são as maiores pegadinhas dos CDBs. Com isso, fica fácil se prevenir e aplicar seu dinheiro em CDBs confiáveis, que tragam um bom retorno.

E você, já investiu em CDBs? Compartilhe sua experiência nos comentários para ajudar outros investidores!

banner-mktplacedireto-1

Leia também:

– Compare 5 opções de empréstimo pessoal online
 As 4 melhores planilhas de gastos pessoais para o seu dinheiro
 Planilha de gastos no Excel ou controle financeiro online?
 Planilha de gastos mensais: como fazer?

Comente!

comentários

 
 

 

Baixe agora o aplicativo de
controle financeiro do GuiaBolso!

Baixe na AppStore Baixe na Google Play