GuiaBolso: suas finanças organizadas em 2 minutos Começar.
 

Quando comprar ações e como vendê-las

banner-mktplacedireto-2

É normal que o investidor tenha dúvidas sobre quando comprar ações e também em que ocasião vendê-las.

Mesmo o mais experiente às vezes hesita na hora de vender ou de comprar um ativo. Não existe uma regra universal e infalível para ter sucesso no mercado de ações. Mas, com algumas dicas, é mais reconhecer quando o mercado está favorável ou os momentos em que os riscos de perder são elevados.

Trace a sua própria estratégia

As opiniões sobre o mercado de ações estão por todos os lados, nos jornais, na TV e até nos conselhos dos amigos. De fato, muitas delas podem estar corretas e até podem servir para apontar algum caminho, mas não devem pautar as suas decisões.

Em vez disso, é importante que você trace uma estratégia e permaneça fiel a ela. Caso contrário, suas compras e suas vendas acontecerão ao sabor das opiniões alheias e você jamais encontrará uma consistência estatística que permita fazer operações com embasamento próprio.

Leia também:

– Compare 5 opções de empréstimo pessoal online
 As 4 melhores planilhas de gastos pessoais para o seu dinheiro
 Planilha de gastos no Excel ou controle financeiro online?
 Planilha de gastos mensais: como fazer?

Observe as tendências

Adotar a estratégia correta, de acordo com a tendência do mercado, é um ponto de partida para acertar na escolha do momento de venda ou de compra.

Por exemplo, caso o mercado aponte uma tendência de baixa, talvez você possa adotar a estratégia de comprar com vistas nas altas de curto prazo. Por outro lado, se há uma tendência de alta de médio prazo você pode segui-la, pensando em uma compra que busque um retorno também de médio prazo.

Utilize um desvio como referência

Você pode estabelecer um mecanismo de avaliação bastante simplificado, que aponte um desvio percentual como sinalizador sobre quando comprar ações ou quando vendê-las.

Por exemplo: vamos imaginar que você tenha comprado uma determinada ação por R$ 50 e que tenha estabelecido um desvio de 20%, para mais ou para menos. Assim, se essa ação chegar a R$ 40 em dado momento — 20% de variação para baixo — você pode ter um sinal de compra. Em sentido oposto, se ela chegar a R$ 60 — 20% a mais — você recebe um sinal de venda.

Porém, é claro esses sinais não devem servir como uma ordem para vender ou para comprar, mas somente como uma indicação de que a variação atingiu as margens que você estabeleceu. Executar ou não a operação vai depender da análise de outros fatores, que considerem a sua estratégia de investimento e também as tendências do mercado.

Não compre na alta e não venda na baixa

Você já deve ter ouvido a recomendação que diz para comprar ações na baixa e vender na alta. Mas, na prática, os investidores acabam fazendo exatamente o oposto, o que justifica o alerta para que você não compre na alta e não venda na baixa.

Por exemplo, há ocasiões em que as ações sofrem baixas significativas que geram uma onda de pessimismo. Temerosos de perderem ainda mais, muitos investidores acabam vendendo.

Em sentido oposto, quando uma ação apresenta uma valorização consistente em curto espaço de tempo, há quem se sinta atraído por ela e faz a compra na alta, muito provavelmente no momento em que ela já atingiu um ponto limite. Não aja assim!

Prepare um plano B

Muitos investidores deixam a bolsa quando percebem que as estratégias adotadas não deram certo. Ora, diante de um mercado de incertezas, como é o de ações, o melhor a fazer é ter estratégias alternativas. Como a de diversificar os investimentos e criar compensações para os momentos ruins.

Agora que você sabe quando vender e quando comprar ações, assine a nossa newsletter e não perca nossas atualizações!

banner-mktplacedireto-2

Comente!

comentários

 
 

 

Baixe agora o aplicativo de
controle financeiro do GuiaBolso!

Baixe na AppStore Baixe na Google Play