GuiaBolso: suas finanças organizadas em 2 minutos Começar.
 

A poupança está rendendo menos e nós te explicamos o porquê

banner-mktplacedireto-2

Ao longo de décadas, a caderneta de poupança foi considerada um bom  investimento por muitos brasileiros a ponto de ser a principal (se não a única) aplicação da maioria da população. A baixa rentabilidade, porém, fez a poupança perder atratividade. Os tempos mudaram, não é mesmo? A poupança já estava rendendo menos e, nos últimos meses, diminuiu ainda mais seu retorno.

Quase nenhum especialista recomenda a poupança como alternativa de investimento. Mas o que aconteceu? Por que os juros da poupança caíram tanto? Separamos 4 motivos pra você entender o que prejudica o retorno e atratividade da poupança!

1. Taxa de juros

2017 foi o ano da queda da taxa de juros básica da economia, a Selic. Os juros diminuíram não só o retorno das aplicações de renda fixa, como Tesouro Direto e CDBs, mas também da poupança. Desde 2012, quando o juro fica em 8,5% ao ano ou abaixo disso, o rendimento da poupança passa a ser de 70% da Selic. Vale lembrar que neste ano os juros já caíram mais de 6 pontos e atualmente estão em 7,5%.

Leia mais:

Onde é melhor investir quando a taxa Selic cai?

10 lições de finanças que aprendemos em ‘Stranger Things’

7 livros importantes para você ter na sua estante

Confira como ficaram os investimentos em outubro

2. Inflação

Inflação também prejudica a poupança. Quando se desconta a inflação, os rendimentos da poupança não são tão atrativos quanto os de outros investimentos. 

A tendência na rentabilidade da poupança é de empatar ou ficar abaixo da inflação. Empatar não é vantajoso porque significa que suas economias só acompanharam a alta de preços. Se o retorno ficar abaixo da inflação, o consumidor diminui o poder de compra, pois o rendimento fica abaixo da alta dos preços. Em 2015, a inflação ficou acima de 10% e a poupança perdeu desta taxa, o que acendeu um sinal vermelho nos investidores para buscarem novas aplicações.

A inflação neste ano está baixa, mas ainda assim o retorno real da poupança (após este desconto da inflação) está abaixo do que o de outas aplicações de baixo risco.

3. Rendimento mensal

Como você, a poupança possui uma data de aniversário (parabéns para ela!), que corresponde ao dia em que você fez o depósito. Se você depositou dinheiro no dia 05 de um mês qualquer, todo dia 05 receberá rendimentos.

Assim, quando você saca uma quantia em um dia anterior, perde esse rendimento. Ou seja, se depositou no dia 5 e sacou no dia 25 do mesmo mês é provável que não receba nada de retorno, o que significa que seu dinheiro ficou simplesmente parado.

Notou que falamos “é provável”? Na prática, a caderneta de poupança pode ter mais de uma data de aniversário. Pode ser então que mesmo sacando antes a data case com o aniversário de algum outro depósito. Em geral, os aniversários costumam se concentrar nos dias de pagamento do salário e de outras fontes de renda, como aluguel, afinal são os dias em que você tem ganhos e entradas na conta. Então, se precisar sacar, o melhor é escolher datas próximas a esses períodos.

4. Mais opções de investimento

Como já falamos, há uma série de outros investimentos que têm rentabilidade mais alta e também são considerados seguros, como Tesouro Direto, CDBs e alguns fundos de investimentos.

Com a internet e o aumento do interesse do brasileiro por aplicações, a facilidade e comodidade sair da poupança contribuíram para que o investidor escolhesse outras opções e diversificasse a carteira. A atratividade da caderneta diminuiu porque o brasileiro já percebeu que a poupança rende pouco.

Mas e você: o que pensa sobre os juros da poupança? Ainda investe nela?

banner-mktplacedireto-2

Comente!

comentários

 
 

 

Baixe agora o aplicativo de
controle financeiro do GuiaBolso!

Baixe na AppStore Baixe na Google Play