GuiaBolso: suas finanças organizadas em 2 minutos Começar.
 

Dinheiro extra do 13º salário: investir ou quitar dívidas? 

 

banner-mktplacedireto-2

Você também pode ouvir esse texto! Experimente:

 

O fim do ano se aproxima e, com isso, a hora de rever e renovar os planos para o ano seguinte. Festas, viagens e todos os gastos extras característicos dessa época vêm acompanhados do 13º salário.  Esse, aliás, é pago em duas parcelas: a primeira no fim de novembro e a segunda em dezembro.

Mas o uso desse dinheiro divide opiniões. Há quem prefira utilizá-lo para sair do vermelho, adiantar as contas, aumentar a poupança ou comprar presentes e há, também, aqueles que não abrem mão de investi-lo em uma viagem e festas em família.

Para ajudar você a fazer a melhor escolha e aproveitar ao máximo o seu dinheiro, neste post vamos te mostrar como utilizar o 13º salário da melhor maneira.

 

Quando quitar dívidas?

Segundo Gilberto Braga, professor do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC), o mais indicado entre todas as opções é eliminar os débitos, principalmente aqueles com as taxas de juros mais altas que aumentam conforme o passar do tempo. Esse é o caso do cheque especial e do cartão de crédito.

O pagamento das dívidas deve ser prioridade, mas jamais deve comprometer o orçamento familiar. Não adianta pagar o cartão de crédito e acabar precisando de dinheiro do cheque especial para pagar as taxas de matrícula do próximo ano, por exemplo. Aproveite esse momento para se reeducar financeiramente ao aprender a selecionar quais devem ser as suas prioridades.

Quitar as suas dívidas com o 13º é uma boa decisão quando o restante dos gastos básicos do dia a dia já estão sob controle. Caso contrário, opte por uma renegociação com os credores, parcelamento ou ainda pela troca de juros altos por juros menores — como de empréstimos oferecidos pela plataforma de crédito Just.

Se você analisou sua situação financeira e percebeu que, de fato, é necessário utilizar o 13º para pagar as suas dívidas, confira algumas dicas para fazer isso da melhor forma possível:

    – Comece pela dívida principal

Dependendo da quantia de dinheiro que você tem em mãos, talvez você precise selecionar quais dívidas quitar. A escolha deve ser objetiva: aquelas que estão gerando mais juros são prioridade!

O cheque especial e o cartão de crédito são campeões nessa categoria. Então, se você está devendo em algum deles, é por aí que deve começar.

Além das dívidas que se multiplicam, outra opção que merece a sua atenção são aquelas contas em que você consegue algum desconto ao pagá-las antecipadamente, como o IPTU e o IPVA. Nas duas opções, as parcelas únicas são menores e você também poderá ficar praticamente o ano todo sem se preocupar com elas.

    – Negocie antes de pagar

Pagamento à vista sempre é uma vantagem poderosa na negociação. Aproveite o seu 13º para pedir descontos especiais aos credores e, com isso, eliminar o maior número possível de débitos. Caso você já tenha feito o parcelamento de algum deles, também vale adiantar parcelas para desafogar o orçamento do próximo ano.

Lembre-se sempre que contas parceladas também são dívidas. Depois de eliminar aquelas em que correm juros, você pode adiantar o pagamento das que estão em dia. Tudo para começar o novo ano com a vida financeira mais organizada!

    – Elimine os atrasos

A maioria das empresas mudam a data do vencimento das contas de um ano para o outro e geram uma fatura maior no primeiro mês da mudança para compensar os dias a mais que ficaram para trás. Isso dificulta bastante para quem está com o orçamento apertado, que, geralmente, deixa o pagamento para depois.  Com o 13º salário você finalmente pode ter essa folga e parar de pagar juros por atraso.

 

Quando as dívidas podem esperar?

De acordo com o educador financeiro Reinaldo Domingos, receber o 13º e ir direto para o banco quitar dívidas pode ser um erro caso você ainda não tenha conhecimento da sua situação financeira.

Antes de realizar o pagamento, analise calmamente as contas e verifique se há inadimplência de fato — juros correndo sobre contas atrasadas. Se essa for a situação, então pague.

Caso todas as suas contas estejam cabendo dentro do orçamento e você não esteja pagando juros, avalie se você não tem algum outro objetivo importante que pode te trazer um bom retorno. Boas opções para investir esse dinheiro são aquelas que te permitam melhorar a renda mensal, como um curso profissional ou um pequeno empreendimento.

Se a pessoa não tem dívidas, o 13º pode servir para criar uma reserva de emergência. Como não contamos com esse dinheiro no dia a dia, você não precisa dele para se manter. Assim que receber o 13º, mande-o diretamente para uma conta poupança ou investimento, para que não corra o risco de gastá-lo desnecessariamente.

Existem opções seguras, de resgate a médio ou curto prazo, que trazem um bom retorno para quem deseja guardar dinheiro e ainda fazer com que ele se multiplique, como o CDBs de bancos médios ou o Tesouro Direto. Só fique atento à liquidez! Em CDBs de bancos médios, o investidor costuma só poder resgatar a quantia no vencimento do papel.

Conseguiu decidir para onde vai o dinheiro do seu décimo terceiro? Com todas essas dicas, você poderá dar o próximo passo para a conquista de seus objetivos.

banner-mktplacedireto-2

Comente!

comentários

 
 

 

Baixe agora o aplicativo de
controle financeiro do GuiaBolso!

Baixe na AppStore Baixe na Google Play