25 dicas para economizar ainda mais em 2018

cofrinho

banner-mktplacedireto-2

Por Isabella Mello

Equilibrar as contas e diminuir gastos significa fazer sacrifícios para você? Se a resposta foi sim, você precisa ler a lista abaixo! Reunimos 25 dicas de como economizar que irão te mostrar que a tarefa é mais simples do que parece.

As dicas estão separadas em 5 etapas: “Organize suas contas”, “Se você estiver endividado”, “Se você não estiver endividado”, “Corte gastos” e “Na hora das compras”. Juntas, elas formam um manual completo para te guiar ao controle de suas finanças e te colocar no caminho do sucesso financeiro. Confira:

 

Organize suas contas:

 

1. Conheça as suas despesas:

O primeiro passo para se organizar é ter pleno conhecimento dos seus gastos. Afinal, como você vai economizar se não sabe onde está gastando? Para isso, registre todas as suas despesas do último mês. Separando-as por categorias – como alimentação, carro, moradia, vestuário e lazer – fica mais fácil identificar onde estão concentrados os maiores gastos.

Esse controle pode ser manual (em um caderno ou planilha), mas isso exigirá que você anote tudo sempre, sem se esquecer de nada. Você também pode contar com a ajuda de uma ferramenta de controle financeiro automático, como o aplicativo GuiaBolso, que puxa as suas transações em 2 minutos e categoriza todas elas para você.

 

2. Classifique seus gastos:

Aqui não estamos falando de separar os gastos entre as categorias (alimentação, transporte, etc). É fundamental que as despesas sejam classificadas em “necessárias” e “dispensáveis”. O nome dessa segunda categoria já indica o que deve acontecer: dispense o máximo de itens pertencentes a ela no mês seguinte.

Repare que falamos “o máximo”, não “todos esses itens”. Vale preservar alguns gastos relacionados a hobbies ou programações diferentes, desde que não comprometam o montante reservado às despesas necessárias e ainda deixem disponível uma quantia para ser poupada. É importante manter algumas despesas relacionadas ao seu estilo de vida, porque cortes de gastos muito radicais costumam se tornar pesados e não ser seguidos por muito tempo – é quase como uma dieta: quanto mais restrita, maiores as chances de ser deixada de lado.

Classificar os gastos também te ajuda a visualizar onde você está exagerando e onde é possível reduzir despesas.

 

3. Hora das contas!

Contabilize todos os gastos mensais e subtraia-os da renda do mês. A regrinha é básica: arredonde sempre as despesas para cima e a renda para baixo. Assim, você garante que uma pequena mudança no planejamento não comprometa por inteiro a reserva restante.

Esse passo é importante para traçar metas e conseguir segui-las. Para que você aprenda a economizar e torne isso um costume, é indispensável saber quanto você pode poupar em cada mês. Com esse planejamento, você tem uma visão melhor de quanto você consegue cortar diante da sua meta de poupança, sem comprometer os gastos básicos.

 

4. Defina metas e orçamentos:

Depois de ter conhecimento sobre o seu custo mensal, é necessário criar metas separando seus gastos em três categorias:

   – 50% da renda para os gastos essenciais: todos aqueles necessários para você se manter no dia a dia, como moradia, alimentação, transporte, educação, etc.

   – 15% da renda para prioridades financeiras: se você estiver endividado, sua prioridade será quitar as dívidas. Se não, poupar para o futuro.

   – 35% da renda para estilo de vida: todos os gastos relacionados a hobbies e lazer, como academia, salão de beleza, compras no shopping, etc.

 

5. Repense os gastos “necessários”:

É importante analisar se os gastos tidos como essenciais para a manutenção do dia a dia não estão tomando uma parcela da renda maior do que deveriam – o que pode acontecer se eles extrapolam a meta de 50% definida no item anterior.  Alguns questionamentos ajudam nessa tarefa: será que a compra mensal no supermercado é exagerada? As contas de água e luz estão dentro do padrão para o tamanho da residência e a quantidade de pessoas que as utilizam?

 

Se você estiver endividado:

 

6. Suas dívidas são prioridade!

Se você tem dívidas, seu foco deve ser quitá-las. Pagá-las à vista é a melhor opção, pois garante um bom desconto nos juros, mas nem sempre isso é possível. Se esse último for o seu caso, opte por fazer uma contraproposta aos credores, para que sejam oferecidas parcelas menores e que estejam de acordo com o seu orçamento. Também é válido pegar um empréstimo caso você esteja em modalidades caras de crédito, como cheque especial e rotativo de cartão de crédito, desde que esse tenha juros menores que os envolvidos na dívida. Empréstimos online, como os oferecidos pelo Just, costumam oferecer taxas bem mais baratas que as linhas tradicionais. A troca da dívida cara por uma barata garante uma boa economia!

 

7. Parcelas em primeiro lugar:

Concentre todas as parcelas logo no início do mês. Isso te impede de gastar com outras coisas antes de cumprir com o seu dever. Colocar as contas numa mesma data também ajuda você a não esquecer de pagá-las e, assim, arcar com juros de atraso e multas.

 

8. Adquira o hábito de poupar:

Se você estiver endividado, dificilmente conseguirá reservar um grande valor mensal para poupar. Mas é importante criar o hábito de economizar, porque de pouquinho em pouquinho você pode, por exemplo, juntar dinheiro suficiente para adiantar uma parcela e assim conseguir um desconto proporcional. E como fazer isso? Sabe aquele cafezinho que você toma na padaria todos os dias? Que tal reservá-lo para um único dia da semana? Mesmo sendo um gasto pequeno do dia a dia, ele pode ser um grande vilão do seu orçamento!

 

Se você não estiver endividado:

 

9. Crie uma meta para poupar:

Se você seguiu a meta de gastar 50% da renda com as despesas essenciais do dia a dia, ainda tem a outra metade disponível. Seguindo a mesma regrinha de planejamento, crie uma meta de investimento para não correr o risco de gastar tudo o que sobrou em despesas não essenciais. Já falamos, mas vale reforçar: é ideal que pelo menos 15% do total seja investido.

Então, ao receber o salário ou sua renda, já reserve essa quantia para aplicar. Assim, você garante que pelo menos uma parte dela será economizada e cria o hábito de gastar menos ao longo do mês, já que terá um valor menor disponível em sua conta.

 

10. Invista:

Se você já tem uma reserva de dinheiro, utilize-a para investimentos. É imprescindível que você conheça quais são as melhores aplicações para que o seu dinheiro renda mais e, assim, atinja o sucesso financeiro que você deseja.

Vendo o quanto uma boa aplicação pode te render, temos certeza de que você terá vontade de reservar cada vez mais dinheiro para acrescentar nessa poupança. Assim, fica mais fácil criar o hábito de poupar, não acha?

      Leia mais:

        + Economizar, poupar e investir: como seguir os 3 passos para o sucesso

 

11. Guarde todos os extras:

Sabe aquele dinheirinho a mais que entra na conta em um determinado mês? Se você vendeu algo que não usava mais ou recebeu seu 13°, por exemplo, guarde todos os centavos que entraram na sua conta. Como são quantias com as quais não contamos no dia a dia, certamente você não precisa delas para se manter. Mande-as diretamente para uma poupança para não ter tempo de pensar em gastá-las.

Essa é uma outra medida que te impede de gastar desnecessariamente ao longo do mês e te incentiva a acostumar-se a economizar. Quando você perceber o quão fácil foi manter esse dinheiro reservado, se sentirá motivado para economizar ainda mais!

 

12. Planeje uma reserva de emergência:

Para evitar que imprevistos comprometam todo o seu planejamento financeiro, você deve priorizar a criação de um fundo de emergência. Aproveite todas as economias que você obteve seguindo os passos anteriores e determine uma única finalidade para elas: utilizá-las em casos de urgência. Ter uma reserva te ajuda a economizar, já que, caso você tenha um imprevisto, não precisará recorrer a linhas caras de crédito como o cheque especial: você foi esperto e já tem uma quantia guardada pra essas situações. 😉

 

Corte gastos:

 

13. Mude as confraternizações para sua casa:

Diminua as idas a restaurantes. Reserve-as para momentos especiais, como comemorações ou aniversários. Deixe o restaurante caro de lado e opte por fazer aquele encontro com amigos em casa. Além do maior conforto e liberdade, o gasto é muito menor, ainda mais se compartilhado.

 

14. Faça uma limpa na casa e guarda-roupa:

Doar pode ser um ótimo aliado na hora de entender o que você realmente precisa. Diminuindo o volume de itens da casa ou peças de roupa, você tem uma noção melhor do que tem e, assim, evita gastos desnecessários.

Com menos roupas e objetos, fica mais fácil manter a casa organizada. Como isso te ajuda a economizar? Todo mundo já passou pela situação de arrumar o guarda-roupa e encontrar uma peça novinha em folha da qual nem se lembrava. Com certeza, com o guarda-roupa organizado você irá comprar bem menos peças.

 

15. Reaproveite:

Alguns itens que parecem não ter funcionalidade e costumam ir para o lixo podem ganhar funções novas após alguns ajustes e evitar gastos desnecessários com artigos novos. Guarde com cuidado aquele papel de embrulho de um presente que você ganhou para poder reutilizá-lo quando for presentear alguém. Você também pode aproveitar latinhas pequenas, como de balas, para usá-las como recipientes para pequenas coisinhas, como brincos, clipes ou parafusos. Há inúmeros sites de artesanato que ensinam a reaproveitar objetos usados, como o Yogui, em seu setor “Faça você mesmo”. Uma boa pesquisa te ajudará a economizar nesse sentido!

 

Na hora das compras:

 

16. Pesquise:

Pesquisar em várias lojas o preço do produto que deseja é imprescindível antes de efetuar a compra. Alguns sites, como o Buscapé e o Zoom, realizam uma comparação de preços e indicam onde há maior oferta. Você ainda pode ter sorte de encontrar nas pesquisas algum estabelecimento que esteja com uma liquidação especial. Aproveite a tecnologia a seu favor!

 

17. Dispense o cartão de crédito:

Para compras caras, o cartão de crédito pode ser ótimo por permitir que você parcele e consiga adquirir tal item, mas, para quem precisa ter maior controle de sua movimentação financeira, é melhor evitá-lo. Pagar tudo à vista nos ajuda a perceber quanto, de fato, ainda está disponível na conta. Além disso, com dinheiro em mãos é possível negociar descontos. Seja cara de pau!

 

18. Leve apenas o dinheiro que pretende gastar:

Um grande empecilho para economizar é comprar mais do que devemos no momento que reservamos para essa atividade, como em uma ida ao supermercado. Para garantir que isso não aconteça, deixe os cartões em casa e leve apenas dinheiro vivo e na quantidade exata que pretende gastar. Assim, você dará o seu máximo para fazer boas escolhas de produtos e deixará de lado o que perceber não ser necessário.

 

19. Aproveite as promoções:

Ficar antenado às grandes promoções é uma ótima dica para continuar comprando alguns itens, mas com menor preocupação. Em eventos de aniversário de mercados, por exemplo, grandes liquidações são anunciadas e, nesses momentos, vale a pena comprar um pouco mais do que o habitual para que alguns produtos ainda sejam consumidos nos meses seguintes (fique atento à data de validade antes de comprar!).

 

20. Experimente novas marcas:

A variedade de marcas no mercado é extensa, mas, geralmente, as mais caras é que são valorizadas. Teste produtos de algumas menos populares entre os consumidores e que apresentam valores mais baixos. Marcas novas estão em busca de espaço nas prateleiras e, por isso, podem ter itens incríveis a preços muito mais acessíveis.  Para ter certeza da qualidade, você precisa experimentar!

 

21. Reserve um dia para não comprar:

Para barrar o hábito de consumo excessivo, é necessário que você escolha um dia do mês para não realizar compra nenhuma! Se vai ficar o dia todo fora de casa, leve comida que você mesmo preparou e bebidas que estavam em seu armário. Dispense uma oferta que encontrar ou qualquer mínimo gasto. Se isso se tornar fácil para você, aumente a frequência desses dias especiais!  

 

Repense os gastos básicos:

 

22. Feche a torneira:

De acordo com a Organização da Nações Unidas (ONU), cada pessoa precisa de 110 litros de água por dia para atender às suas necessidades de higiene e consumo. Mais do que isso é exagero. Confira as suas últimas contas de água e veja se a quantidade de litros utilizada condiz com essa indicação.

A conta não bateu? Está na hora de fechar a torneira! Faça isso quando estiver escovando os dentes, ensaboando a louça ou fazendo a barba. A água que corre nessas horas é totalmente desperdiçada! Outras dicas de como diminuir a sua conta estão listadas aqui nesse post do GuiaBolso. Confira!

 

23. Desligue seus aparelhos da tomada:

Se você passa grande parte do dia fora de casa, vale a pena tirar alguns aparelhos da tomada. Eletrônicos em “stand-by” – aqueles que acendem uma luzinha quando não estão em modo ligado -, se desconectados da tomada, podem economizar alguns reais por mês. Parece pouco, mas qualquer quantia é bem-vinda à poupança!

Você também pode seguir outras dicas já listadas pelo GuiaBolso e diminuir consideravelmente a sua conta de energia. Além de favorecer a sua situação financeira, você ainda ajuda a economizar recursos naturais!

 

24. Adote o plano pré-pago:

Planos pós-pagos de celular não possuem limites e, por isso, podem apresentar valores assustadores no final do mês. Opte pelos pré-pagos, assim você consegue determinar quanto pretende gastar e se policia para não exagerar no consumo.

 

25. Compre em atacado:

As compras básicas do mês podem ser muito melhor aproveitadas em atacados, onde as ofertas são maiores e, por isso, a chance de economizar se multiplica. Preste atenção nas datas de validade antes de comprar algum item em grande quantidade! Tenha certeza de que ele ainda estará em ótimas condições quando for consumi-lo.

banner-mktplacedireto-2

 

Comentários

comentários

2 Comments

  1. ótimas dicas e orientações! Valeu! Gratidão!

  2. Boa noite!! Amei as dicas,algumas já prático, mas vou procurar mim delegar mas. Quero o mas rápido possível reverter o meu quadro financeiro. Muito obrigada... um abraço

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *