GuiaBolso: suas finanças organizadas em 2 minutos Começar.
 

Passo a passo: como investir no Tesouro Direto!

banner-mktplacedireto-2

Por Isabella Mello

 

Investir no Tesouro Direto pode ser uma ótima opção para quem procura uma aplicação rentável e segura para o seu dinheiro. Pelo programa, com a partir de R$ 30,00 (isso mesmo, só 30!) você passa a ter acesso aos títulos públicos, que equivalem a um pedacinho da dívida pública brasileira. Resumindo: você “empresta” uma quantia para o governo federal e recebe em troca uma determinada rentabilidade.

Ficou animado, né? Então, antes de sair correndo para aplicar as suas reservas é importante que você entenda direitinho o que é o Tesouro Direto.

A plataforma, lançada em 2002, foi criada com o objetivo de facilitar o acesso do pequeno investidor – aquele que ainda está iniciando suas aventuras nesse mundo ou que não tem tanto dinheiro para aplicar – aos títulos públicos, sem a necessidade de adesão a um fundo de renda fixa, como acontecia até então.

Para utilizar o programa, é preciso apenas ter um CPF regular, além de uma conta corrente ou poupança em uma corretora e, claro, pelo menos R$ 30 disponíveis. Mas como aplicar no Tesouro Direto?

Os procedimentos costumam causar muitos questionamentos em quem está começando. Para eliminar todas as essas dúvidas, o GuiaBolso elaborou um passo a passo para que você comece a investir desde já. Confira:

 

4 passos para entender como aplicar no Tesouro Direto:

 

1. Escolha um agente de custódia

Para operar no programa do Tesouro Direto você deve primeiramente escolher uma instituição financeira, que será responsável por intermediar as negociações. Para encontrar quais estão habilitadas e que recebem o nome de agentes de custódia, você pode conferir a relação disponibilizada no próprio site do Tesouro Direto.

Na mesma relação, é possível consultar também as taxas de administração, cobradas por elas para que realizem essa ponte, além de outras informações, como o prazo de repasse dos recursos. Nesta lista, tem até algumas corretoras que não cobram nenhuma taxa!

Após analisar a tabela, você deverá entrar em contato com a instituição escolhida, solicitar o cadastramento e fornecer a documentação necessária. Assim, ela abrirá uma conta em seu nome para poder operar com o Tesouro Direto. O processo é bem simples. Hoje em dia a maioria faz o cadastro e envio de documentos pelo próprio site.

A imagem abaixo explica um pouquinho de como acontece a relação entre o investidor e o Tesouro Nacional:

Reprodução: site Tesouro Direto

 

2. Acesse a plataforma

Logo que o cadastro for concluído, você receberá por e-mail uma senha provisória para realizar seu primeiro acesso à área restrita do site do Tesouro Direto, ambiente onde são efetuadas as transações de compra e venda.

Ao acessar a plataforma, você deverá alterar imediatamente a sua senha, criando uma nova combinação de 8 a 16 dígitos, com letras, números e caracteres especiais.

A partir do momento em que a senha for alterada você estará habilitado para investir.

 

Leia também: 

      + 5 fatores que influenciam o rendimento do Tesouro Direto

      + Economizar, poupar e investir: como seguir os 3 passos para o sucesso

      + 5 bons motivos para começar a investir em 2018

      + 25 dicas para economizar ainda mais em 2018

 

3. Descubra qual o melhor investimento para você

Antes que você comece a aplicar o seu dinheiro, é interessante estudar as opções existentes. Há, basicamente, dois tipos de títulos: os prefixados, com juros definidos no momento da compra, e os pós-fixados, com a rentabilidade atrelada a um indexador, como o IPCA ou a própria Taxa Selic.

É fundamental que você identifique o seu perfil de investidor para que possa escolher a opção mais adequada, avaliando fatores como grau de risco e prazo do investimento. Títulos de inflação (IPCA), por exemplo, costumam ter o vencimento mais longo, sendo recomendados para quem está fazendo uma poupança para a aposentadoria ou para a faculdade do filho pequeno.

 

4. Efetue sua primeira compra

Agora, pode comemorar: você já está pronto para investir! Após escolher o título de sua preferência, confirme a compra diretamente na plataforma. Caso seu agente de custódia ofereça a opção, você pode ainda programar a sua compra.

Assim que a compra for confirmada, você será informado do prazo para depositar o valor na conta de investimentos. Basta fazer uma transferência para a conta que a corretora indicar.

É importante saber que, quando um título vence ou se você faz jus ao pagamento de juros, os depósitos são efetuados na conta da corretora a partir das 13 horas do dia em que ocorreu a venda. No caso da venda antecipada, a disponibilização ocorre a partir das 13 horas do dia seguinte. Então, depois do vencimento ou venda, é preciso lembrar de solicitar a corretora a transferência para a sua conta pessoal.

 

Agora que você já sabe como aplicar no Tesouro Direto, mãos-à-obra! Os títulos públicos podem ser uma ótima opção para você construir a sua reserva financeira.

banner-mktplacedireto-2

Comente!

comentários

 
 

Nelma comentou:

Gostaria de saber mais como investir no tesouro direto

23/01/2018, 19:47

    GuiaBolso comentou:

    Bom dia, Nelma!! Tudo bem?
    Ficamos muito felizes que você está interessada em investir! Você pode nos dizer quais são as suas dúvidas?

    24/01/2018, 11:55

 

Baixe agora o aplicativo de
controle financeiro do GuiaBolso!

Baixe na AppStore Baixe na Google Play