GuiaBolso: suas finanças organizadas em 2 minutos Começar.
 

Aprenda a calcular o rendimento da poupança

banner-mktplacedireto-2

Por Toro Radar

Você também pode ouvir esse texto! Confira: 

Um dos investimentos mais antigos e populares do Brasil tem enfrentado momentos difíceis e de muita concorrência. A caderneta de poupança é fácil e prática, mas deixa muito a desejar quanto a rentabilidade entregue aos poupadores. E a culpada por isso é a taxa Selic! Calma, nós vamos te explicar o porquê.

Em 2017, a Selic, taxa básica de juros brasileira, sofreu diversas quedas no seu percentual, chegando ao patamar de 7% em dezembro. Isso acabou impactando o rendimento da poupança, já que é ela quem determina qual é o cálculo feito para definir o retorno da caderneta.

Para entender melhor como acontece essa relação, é preciso conhecer os dois modos de calcular os rendimentos da caderneta. O raciocínio é o seguinte:

 

   – 0,5% ao mês + Taxa Referencial (TR) quando a meta da taxa Selic for superior a 8,50% ao ano.

   – 70% da meta da Taxa Selic ao ano + Taxa Referencial – quando a meta for igual ou menor que 8,50% ao ano.

Obs: a Taxa Referencial é divulgada diária, mensal e anualmente pelos principais portais econômicos.

 

Portanto, sabendo que a Taxa Selic caiu para 7% em dezembro, está valendo a segunda regra atualmente para o cálculo do rendimento da poupança. A caderneta rende cerca de 70% da Selic hoje em dia.

Esses cálculos são iguais para todos os bancos. Então, você pode abrir uma conta no Banco do Brasil ou no Itaú, por exemplo, que a rentabilidade entregue será a mesma.

Supondo que você depositou R$ 1 milhão na Poupança no início de 2017 e deixou este valor aplicado durante os 12 meses do ano. Ao final deste período, o rendimento seria de R$ 66.140,90, sem desconto da inflação. Isto é, o seu saldo após a aplicação de R$ 1 milhão seria de R$ 1.066.140,90.

Pode até parecer um bom resultado, mas se o compararmos com o histórico e com o retorno de outros investimentos, você irá se decepcionar: seu dinheiro poderia estar rendendo bem mais.

É preciso deixar claro que as rentabilidades passadas não são garantia de ganhos futuros. Isto é, os dados apresentados acima servem apenas para entender como foi a rentabilidade deste investimento nos últimos anos. Dessa forma, não existe uma garantia de como a poupança renderá daqui para frente.

Com essas informações em mãos, é fácil compreender que a poupança é uma aplicação bastante segura e acessível, mas pouco eficiente. É importante saber que existem no mercado financeiro outros investimentos com este mesmo perfil de risco, mas com rentabilidades melhores e que, por isso, podem roubar todos os seus fãs.

Quer exemplos? Conheça um pouco mais sobre as Letras de Crédito, o Tesouro Direto e o Certificado de Depósito Bancário:

 

Letras de Crédito

A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) são investimentos de renda fixa emitidos por bancos ou corretoras. Quando você compra um título desta natureza, está emprestando dinheiro para a instituição financeira utilizar em financiamentos no ramo de imóveis ou agropecuário.

Essas aplicações são protegidas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Isto é, caso a instituição financeira passe por um processo de falência, o investidor poderá ter seu dinheiro de volta, caso se enquadre nas condições definidas pela instituição – não deixe de se certificar delas, ok?

Além da segurança, outro ponto em comum com a caderneta é que as LCs são isentas de Imposto de Renda.

 

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é uma aplicação financeira de renda fixa bastante conhecida devido à sua alta liquidez e segurança. Isto quer dizer que, se for preciso, é possível resgatar o dinheiro aplicado a qualquer momento.

Você investe no Tesouro Direto via corretora de valores. Um título vendido lá representa a dívida do governo com você, ou seja, quando investe no Tesouro você está emprestando recursos para o governo. Após um tempo, seu dinheiro será devolvido junto com os juros. Mas, como dissemos, se precisar resgatar a quantia antes, é permitido o resgate de acordo com o preço do título no dia.

Além disso, este título é tão acessível quanto a poupança, pois aceita investimentos a partir de R$ 30. No entanto, é preciso ficar atento pois não são todos os títulos que podem ser adquiridos por este valor.

 

Certificado de Depósito Bancário

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um investimento emitido por bancos, que também é protegido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Esses títulos estão cada vez mais populares e, em muitos casos, podem oferecer diversos benefícios.

Um deles é a liquidez diária na maioria dos bancos grandes que, assim como a poupança e o Tesouro Direto, permite o resgate do valor aplicado a qualquer momento. Em bancos médios e pequenos a liquidez não costuma ser diária, mas, em compensação, o retorno costuma ser bem melhor. O risco da aplicação é o banco não te pagar, pois o CDB representa um empréstimo que o investidor está fazendo para a instituição, que se compromete a devolver o valor mais juros após certo tempo.

 

Além das aplicações apresentadas acima, existem outras opções que podem te agradar. Por isso, antes de começar a investir seu dinheiro, entenda qual é o seu perfil de investidor e qual título se encaixa melhor às suas necessidades e expectativas. Nesse post, nós te ajudamos a fazer isso!

 

Leia também: 

      + 25 dicas para economizar ainda mais em 2018

      + 5 bons motivos para começar a investir em 2018      

      + 4 motivos para sair da caderneta de poupança

banner-mktplacedireto-2

Comente!

comentários

 
 

 

Baixe agora o aplicativo de
controle financeiro do GuiaBolso!

Baixe na AppStore Baixe na Google Play