Eu tenho um sonho...

viagem

banner-mktplacedireto-2

Por Isabella Mello

A minha história pode não ser tão parecida com a sua. Talvez você esteja em um momento em que quitar as dívidas é prioridade, ou então em que toda a preocupação está voltada para pagar aquele curso que vai te dar o certificado que falta. Mas uma coisa é igualzinha entre a gente: temos sonhos grandes, que, às vezes, até parecem bem distantes, mas que podem ficar cada vez mais perto se traçarmos um caminho para isso.

Nessa Semana Nacional de Educação Financeira (ENEF), o GuiaBolso te ajudará a pensar nas suas finanças de uma maneira diferente, para que você não tenha mais dúvidas sobre qual é o seu próximo passo nessa caminhada. E hoje é o dia de colocar o planejamento  em prática a partir de uma meta!

Todos os seus sonhos talvez pareçam muito difíceis de alcançar por conta do próprio título que eles recebem. Se você substituir “eu tenho um sonho” por “eu tenho um objetivo”, já parece muito mais possível, concorda? E é justamente essa possibilidade que vai te dar motivação para criar novos hábitos e não desistir das mudanças necessárias. Essa dica vale para qualquer aspecto da vida! Mas, falando sobre as finanças especificamente, se você não orientá-las com um direcionamento bem específico, o risco de gastar mais do que deveria vai ser enorme!

Por isso, é bem importante entender qual é o jeito ideal de estabelecer uma meta – apesar de ser muito tentador, não adianta dizer apenas que quer comprar uma mansão em Ibiza, ok? O que te ajudará nesse momento é o método SMART, usado para definir objetivos.  

Essa técnica inteligente (como o próprio nome já diz) indica que eles devem cumprir 5 características: ser específicos, mensuráveis, atingíveis, relevantes e temporizáveis. Só assim você conseguirá manter o foco no resultado! Neste vídeo aqui a gente explica direitinho como isso funciona:

Depois de feito isso, o tempo definido ganha destaque. As metas devem ser separadas por curto, médio e longo prazos, já que cada uma exige um planejamento diferente. Quitar dívidas, criar uma reserva de emergências e pagar alguma pendência são prioridades, certo? Então, elas se encaixam em objetivos de curto prazo, que, quanto antes forem atingidos, melhor!

Lembra que eu disse que pretendo juntar um dinheirinho para comprar a casa própria? Essa é a minha meta de médio prazo. Assim que eu tiver todas as minhas prioridades resolvidas, poderei me dedicar 100% a ela! E só depois, então, voltarei todas as minhas economias para o que tiver longo prazo, como a aposentadoria.

Percebeu que eu disse “todas as minhas economias”? Isso porque, na verdade, já comecei a pensar na reserva que quero ter quando envelhecer. O que acontece é que, como pretendo alcançar outros objetivos antes, apenas uma partezinha das minhas finanças está sendo direcionada para isso (por enquanto!).

Entender onde queremos chegar é fundamental para que, de fato, coloquemos o planejamento e novos hábitos em prática! Afinal, motivação é tudo, né?

 

Leia também os outros textos da Semana ENEF: 

+ Por que eu deveria organizar as minhas finanças?

+ Prepare-se para chegar lá

+ O poder da multiplicação

banner-mktplacedireto-2

Comentários

comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *