GuiaBolso: suas finanças organizadas em 2 minutos Começar.
 

Tudo o que tem dentro de um empréstimo

banner-mktplacedireto-2Por Isabella Mello

Você também pode ouvir esse texto! Experimente:

 

É fácil se deixar levar pelas propagandas de empréstimos que mostram taxas de juros bem baixas. Se você está precisando de uma ajudinha financeira, fica difícil segurar a tentação, né? Mas o que muita gente não sabe – e que a publicidade quase nunca mostra – é que, na verdade, essa não é a taxa real que você vai pagar. Além dos juros que a gente já conhece, algumas outras tarifas também são cobradas e acabam deixando o crédito mais caro do que a gente imaginava.

Então, para poder escolher a melhor opção de empréstimo para você, não basta encontrar os menores juros. É preciso conhecer tudo o que tem dentro do serviço que você vai contratar. E nessa missão, a gente vai te ajudar agora!

Taxa de juros nominal

Essa é aquela que a gente já conhece. A que as propagandas e sites de instituições financeiras divulgam. Como ela pode variar muito de acordo com o perfil do consumidor e com a análise de cada credor, começar a sua pesquisa por ela é, sim, muito importante! Mas lembre-se que essa tarifa ainda está livre de impostos e outros custos. Em geral, só quando a oferta for fechada é que os outros valores serão incorporados.

Tarifa de cadastro

Algumas instituições também cobram uma tarifa simplesmente para você se cadastrar e poder ter acesso ao empréstimo. Então, na hora de procurar as melhores ofertas, não se esqueça de pesquisar sobre essa possibilidade e colocá-la na balança também.

Imposto IOF

O IOF é o Imposto sobre Operações Financeiras cobrado em todo o país. É aquele mesmo das transações de câmbio, sabe? No caso dos empréstimos, essa tarifa é equivalente a 0,38% do valor solicitado mais uma taxa do dia em que a oferta foi contratada. Também é importante saber que o IOF é obrigatório em qualquer empréstimo. Então, nesse caso, não tem como economizar, ok?

Seguro

Alguns empréstimos podem incluir seguros que protegem o cliente em casos de desemprego ou óbito, por exemplo. Essa garantia é super positiva por te dar uma força em imprevistos, mas ela também deixa o valor final mais caro. Então, antes mesmo de começar a procurar um empréstimo ideal, reflita sobre o que é mais vantajoso para você: assumir o risco e conseguir um valor menor ou optar pelo seguro, mas ter que desembolsar um pouco mais. O importante é sempre escolher com consciência!

Mas é muita coisa pra pesquisar! Então se liga nessa dica que vai simplificar a sua vida: CET

O Custo Efetivo Total (CET) é exatamente a junção de todas essas taxas anteriores. Ele une os juros nominais a todos os custos de uma operação de crédito, como o IOF, tarifa de cadastro e seguros – e ainda inclui o custo administrativo da instituição financeira.

O Banco Central determina que o CET sempre deve ser informado ao consumidor, mas o lado negativo é que isso, geralmente, acontece só no momento da assinatura do contrato, então fica mais complicado comparar as ofertas de empréstimos usando a taxa que você realmente vai pagar. Se o credor que você encontrou não informa o Custo Efetivo Total logo na simulação, a dica é tentar pesquisar as taxas de maneira separadamente, para conseguir colocar tudo na balança e fazer sempre a melhor escolha!

 

O grande segredo para ter sucesso em qualquer operação financeira é ter paciência e pesquisar as opções! Cada alternativa é ideal para cada pessoa e, por isso, é sempre muito importante entender a sua situação e procurar pelo que mais combina com você.

banner-mktplacedireto-2

Comente!

comentários

 
 

 

Baixe agora o aplicativo de
controle financeiro do GuiaBolso!

Baixe na AppStore Baixe na Google Play