Seis vantagens que você tem quando usa o cartão de crédito

blog_vantagem do cartão

Por Guilherme Campos

O cenário é comum em quase todos os lares brasileiros. Taxinhas tentando se camuflar em cada produto ou serviço que é consumido. Não faltam boletinhos que custam o olho da cara e precisam ser pagos todo o mês. Seja qual for o envolvido, sobram candidatos pra tirar dinheiro do seu bolso.

Por outro lado, nada mais animador que a tentativa das empresas de fidelizar clientes. Ainda mais quando essa compensação fecha a torneira dos gastos e, pelo menos, mantém a grana guardadinha lá na conta. E se aumentar ela, melhor ainda, né?

Pense no cartão de crédito e não se assuste com o que o Guiabolso vai mostrar agora. Principalmente se você sente que ganhou na loteria por não pagar anuidade. Ou abre aquele sorriso com o sistema de milhagem. Sim, aqueles pontinhos gerados em cada compra e que podem ser trocados por outros produtos ou passagens aéreas.

Um mundo de vantagens que pouca gente conhece

Pois é, parece aquela história do pote de ouro que fica atrás do arco íris. Mas com a nossa ajuda dá pra colocar uma lupa nas letrinhas miúdas e só tirar vantagem disso. E põe benefício nessa conversa.

  1. Primeiro as telonas
    Até os bancos grandes entram nessa. Nomes como Itaú, Bradesco e Santander costumam dar descontos de até 50% na compra de ingresso usando o cartão de crédito deles. O único cuidado é que o agrado pode ser específico de uma ou outra rede de cinema. Então, antes de contar com a economia na sala de cinema do shopping mais perto de você é bom consultar o atendente e verificar se o cartão de crédito dá match com aquela rede de exibição dos filmes.

  2.  Programas de descontos das Bandeiras 
    O cartão de crédito tem um sistema de funcionamento parecido com uma engrenagem. Um dos componentes desse sistema é a bandeira, um tipo de intermediário entre o consumidor, aquele que vende e o banco ou instituição que respondem pelo cartão.

    É a bandeira que acessa os dados do banco pra checar o limite do cartão de crédito e se a pessoa ainda tem saldo disponível pra fazer a compra. A Visa é uma das bandeiras mais comuns no Brasil e concentra algo em torno de um terço do mercado. A empresa oferece aos clientes o Vai de VisaSe o cartão estiver cadastrado nesse programa é possível ganhar desconto ou preços especiais em empresas parceiras como Netshoes, Decolar e Outback.

    Tem uma outra bandeira bem atuante aqui no Brasil que proporciona algo parecido: a MasterCard. O nome da iniciativa é Mastercard Surpreenda e permite aos clientes com cartões cadastrados gerarem pontos a cada compra que fizerem. E se eles visitarem este site, podem trocar os pontinhos por cupons. Aí é só ir nas lojas parceiras da iniciativa e ao comprar um produto e apresentar o cupom, você ganha outro igualzinho. A compra em dobro pode ser feita em lugares como a Avon ou Amor aos Pedaços, por exemplo.

    Já a bandeira Elo beneficia os clientes cadastrados nos programas de fidelidade dos bancos ligados a ela. A Elo oferece pontos de milhagem que não perdem a validade. Dependendo do tipo de cartão ainda é possível estender os cuidados adicionais pra atendimento de emergência com o bichinho de estimação ou socorro em caso de problemas na casa ou com o carro. Vai que o veículo quebra na estrada ou aparece aquele problemão pra resolver e as ferramentas disponíveis são insuficientes.

  3. Minimizando a Lei de Murphy
    Outra mãozinha da Mastercard. Sabe aqueles momentos em que compramos algo e alguns dias depois achamos a mesmíssima coisa mais barata? Calma, antes de chorar o leite derramado olhe se a bandeira do seu cartão é Mastecard Gold, ou versões superiores. Sim? Então comemore, principalmente se você pagou com ele. Caso o preço tenha sido de, pelo menos, 50 dólares (mais ou menos R$ 215) você tem até 30 dias pra pedir uma espécie de compensação da Mastercard. É o seguro proteção de preço. O valor devolvido é de até 100 dólares por compra (uns R$ 425). A Mastercard limita o uso desse seguro a duas vezes por ano e não aceita que o motivo de acionar o seguro seja datas como a Black Friday, ou promoções específicas do calendário comercial como o Natal, ou o dia dos Pais. Se a compra foi feita pela internet o prazo pra reclamar é menor: 7 dias. Claro que você precisa provar que comprou e mostrar o anúncio com o preço menor.  Dá pra tirar todas as dúvidas na página da Mastercard que fala sobre isso.

  4. Opção anti roubo
    Seguindo a ideia da proteção de preço, a Mastercard também oferece a partir do cartão Gold (se estende às versões Platinun e Black) uma proteção pros casos de danos acidentais ou roubos. Cuidado, existe uma lista de itens que são cobertos pela iniciativa que dá pra conferir clicando aqui. O valor máximo devolvido é de 200 dólares (uns R$ 850) por situação, com um limite de 400 dólares ( R$ 1700) de benefício em um ano. E o prazo pra se manifestar é de até 30 dias da data do incidente.

  5. A bola com os bancos digitais
    Sabe aquela história de quanto mais concorrência melhor pros consumidores? O caso se aplica com a chegada dos bancos digitais. Além de oferecer cartões sem anuidade quase como regra geral, os novos agentes no mercado financeiro ainda proporcionam outra vantagem: todas as funções e ferramentas disponibilizadas podem ser acionadas pelos sites ou aplicativos. Tá, mais alguns bancos grandes também fazem isso. Sim, mas ainda existe algum tipo de interação ou dependência humana. Realidade diferente da experiência que se pode encontrar nos bancos digitais, que não se apoiam nesse tipo de suporte de um funcionário. Mais rapidez e agilidade em resolver os problemas.

  6. Cash o quê?
    O nome parece difícil, mas o benefício é super bem-vindo. Já pensou em comprar e receber parte do valor de volta e em dinheiro? Pois isso é o Cashback. E agora a indicação de um parceiro do Guiabolso (mantendo o compromisso de fazer boas indicações pra valorizar cada vez mais a grana suada de cada dia): o cartão Méliuz. Com ele você sempre recebe de volta 0,8% do total das compras. Essa grana volta pra conta cadastrada no programa Méliuz  alguns dias depois da fatura do cartão de crédito ser paga.

    Ah, também é preciso ter um saldo mínimo de R$ 20 pra fazer essa operação. E não precisa pagar nenhum valor por causa dessa transferência. Acha que é tudo? Agora ainda tem a cereja do bolo. Pedindo o cartão Méliuz agora você fica livre de pagar qualquer anuidade mensalidade. E ainda consegue um cashback maior – 1% – se a compra for feita em alguma das 1600 lojas onlines parceiras da empresa, como a Amazon, Americanas.com, Booking, Netshoes e Submarino. E olha só, esse 1% se soma aos 0.8% de sempre. Isso mesmo, no caso de compra em loja parceira o dinheiro devolvido é 1,8%.

    Gostou? Tá esperando o que pra clicar aqui e pedir o seu cartão Méliuz. Aproveite!!


    Você pode saber ainda mais sobre cashback aqui. 

A conta que ninguém te conta
Apesar das vantagens é importante monitorar quanto se gasta no cartão de crédito. Isso evita os sustos quando a conta chega lá no fim do mês. Outro conselho de muito valor: a fatura precisa ser paga integralmente. Nada de parcelar e empurrar um pouquinho pro mês seguinte. Isso pode ser a bola de neve da sua vida ou o pesadelo do seu fluxo de caixa. Já viu, por exemplo, os juros altos que são pagos por usar o rotativo do cartão? Em julho, a taxa média calculada pelo Banco Central foi de 12,25% ao mês. Os usuários do Guiabolso que entraram no rotativo do cartão de crédito pagaram em média R$ 92,55.

Comentários

comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *