4 dicas para escolher um seguro para seu imóvel

shutterstock_108889664-2-768x512

Mas saber escolher uma apólice de seguro adequada pode fazer toda a diferença para que o imóvel esteja bem coberto contra os possíveis riscos. Além disso, é fundamental que o valor do prêmio (o valor que pagamentos pelo seguro) caiba no seu bolso: mesmo que esteja no limite do orçamento, reveja suas contas para incluir o custo de um seguro de imóvel. Você sabia que esse tipo de seguro é percentualmente inferior em relação ao de automóveis?

Para te ajudar na hora de escolher o seguro mais adequado, listamos quatro dicas:

4 dicas para escolher um seguro para seu imóvel

Avalie os tipos de cobertura

Antes de iniciar a pesquisa, pense no que você quer proteger. As coberturas podem variar entre as que contemplam apenas o imóvel até as que incluem os bens móveis em seu interior.

Geralmente, as coberturas de seguro mais básicas indenizam somente os prejuízos causados por incêndio, explosão ou raio. A partir dessa cobertura inicial, que é obrigatória para qualquer seguro, você deve avaliar se o local onde o imóvel se encontra está exposto a riscos que deverão ser previstos em coberturas adicionais.

Construções localizadas em áreas onde os alagamentos ocorrem com frequência podem se beneficiar de coberturas adicionais que vão além da principal. Já as pessoas que moram em apartamentos, não irão se beneficiar de um seguro contra o impacto de veículos, por exemplo.

Entre as coberturas adicionais, as seguradoras costumam oferecer seguros contra alagamentos, quebra de vidros e espelhos, roubo ou furto de bens, responsabilidade civil familiar e integridade de empregados. Outras coberturas podem indenizar, ainda, prejuízos causados por vendavais, chuvas de granizo, impacto de veículos ou aeronaves, danos elétricos, entre outros.

Considere o seguro de bens móveis

Caso você também esteja interessado na cobertura de bens móveis, ou seja, os objetos que estão dentro do imóvel, será necessário levantar cuidadosamente todos os objetos de valor que possui dentro de casa. Caso a seguradora não faça uma vistoria prévia, prepare uma lista para ser anexada à apólice com todos os itens que precisarão de cobertura, incluindo cópias de notas fiscais de itens como móveis e eletroeletrônicos.

Nesse caso é importante se informar com seu corretor de seguros, ou com a seguradora, todos os bens que serão indenizados em caso de prejuízos. Ler o contrato pode ser um processo chato e demorado, mas é fundamental conhecer bem o plano que está sendo contratado para evitar surpresas desagradáveis no futuro.

Confira alguns itens listados pela Superintendência de Seguros Privados do Ministério da Fazenda (Susep) que geralmente não são compreendidos no seguro, mesmo quando o prejuízo é causado por riscos cobertos.

– Pedras, metais preciosos, obras e objetos de arte e outros bens de grande valor;

– Manuscritos, plantas, projetos, papel-moeda, selos, cheques, papéis de crédito, moedas cunhadas, livros de contabilidade, etc.;

– Bens de terceiros, recebidos em depósito, consignação ou garantia.

Faça as contas

Muitas pessoas não sabem, mas o custo de um seguro bem completo pode variar entre 0,5 e 1% do valor do imóvel. Comparado ao seguro de um automóvel, que costuma oscilar de 3 a 9% do valor do veículo, é fácil constatar que proteger o lar não é privilégio para poucos.

É importante saber o que influencia o valor do prêmio do seguro na hora de tomar a decisão. Esse custo pode ser impactado por questões como valor da importância segurada, localização e uso do imóvel (residência ou veraneio), tipo de construção e coberturas contratadas.

Ao definir a importância segurada, é comum não segurar o valor total do imóvel e dos bens. As coberturas básicas geralmente prevêem indenização entre 50 e 60% do valor de mercado da residência e dos móveis e eletroeletrônicos.

Pesquise bem na hora de contratar

Na hora de fechar negócio e contratar o seguro, o corretor poderá ser extremamente útil para te orientar na escolha da seguradora e da melhor cobertura para o seu imóvel. Lembre-se que, conforme previsto em lei, a comissão recebida pelo profissional já faz parte do valor pago à seguradora, independentemente da participação dele na contratação.

Confira alguns cuidados que o Procon indica na hora de adquirir a apólice:

– Verifique se a corretora e a seguradora possuem autorização de funcionamento junto à Susep;

– Pesquise e compare os valores dos seguros do máximo de instituições possível;

– Leia com atenção a proposta e as condições do contrato;

– Certifique se a proposta contém os valores do prêmio, a importância segurada e a cobertura.

Com estas dicas fica bem mais fácil escolher o seguro do seu imóvel!

 ]]>

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *