Como Começar a Investir do Zero

Veja o passo-a-passo para começar a investir do zero e alcançar a liberdade financeira.

Guiabolso

Publicado em 03/03/2021

Por The Capital Advisor

Saber como começar a investir do zero permitirá que você um dia tenha uma vida tranquila, sem ter que se preocupar com as contas do fim do mês.

Faça agora a seguinte pergunta para você mesmo:

por que algumas pessoas vivem em abundância financeira enquanto tantas outras mal conseguem pagar as contas no final do mês?

Sempre me preocupei com o meu dinheiro e sabia que para viver em abundância precisava aprender técnicas que me protegessem e aumentassem minha segurança financeira.

Se você está lendo esse artigo é porque você também se preocupa com o seu.

Não importa se já gastou mais do que ganha, se ficou devendo para o cartão de crédito, se comprou coisas por impulso e se arrependeu depois ou se perdeu dinheiro ao fazer aplicações em investimentos ruins.

Entenda uma regra simples:

ninguém vai cuidar do seu dinheiro melhor do que você mesmo!

As 7 lições que separei ajudarão você no processo de começar a investir do zero:

  1. Organize suas finanças;
  2. Defina seus objetivos;
  3. Descubra o seu perfil de investidor;
  4. Conheça os tipos de investimentos;
  5. Elabore seu plano de investimento;
  6. Comece a investir;
  7. Monitore seus investimentos.

Organize suas finanças

Ninguém consegue ter saúde financeira – o que significa ser bem-sucedido do ponto de vista das finanças pessoais – sem antes estar com as contas em dia.

Você precisa saber tudo o que ganha e também tudo o que gasta mês a mês.

Parece simples?

Mas não é.

Uma prova disso é que 63,8 milhões de brasileiros começaram 2021 com as contas em atraso, conforme apontou a Serasa Experian, impulsionada pelo desemprego no país.

O total de pessoas com contas em atraso representa 40,8% da população adulta do país.

Isso significa que o endividamento chegou ao seu maior nível desde 2010, quando a série passou a ser contabilizada.

Portanto, comece seguindo a recomendação: elimine suas dívidas.

Defina seus objetivos

Economizar vale a pena quando existe um propósito e que esteja de acordo com os seus desejos pessoais para o curto, o médio e o longo prazo.

Você pode estar agora mesmo dizendo:

Eu não sei onde gostaria de chegar economizando o meu dinheiro.

Isso é normal.

Por experiência própria, asseguro que é assim mesmo.

Definir objetivos costuma ser confuso para a maioria das pessoas porque exige pensar nas metas que você tem na vida e quais são as suas prioridades.

A estratégia da organização financeira passa por saber para onde você está indo.

“Dinheiro é resultado. Riqueza é resultado. Saúde é resultado. Doença é resultado. O seu peso é resultado. Vivemos num mundo de causa e efeito. A falta de dinheiro é o efeito. Mas onde está a causa? Ela se resume ao seguinte: a única maneira de mudar o seu mundo exterior é modificar o seu mundo interior.”T. Harv Eker

O que precisa definir agora é:

o que gostaria de fazer com esse dinheiro, de forma objetiva e realista.

Por exemplo, poderia comprar uma motocicleta.

Escreva quais são os seus objetivos em um papel – ou mesmo no bloco de notas de seu smartphone.

Visualizar as metas financeiras ajuda você a entender qual é o destino de suas economias. 

Comece pequeno: defina 3 objetivos – um para o curto, um para o médio e outro para o longo prazo.

Qual será realizado primeiro?

Não existe unanimidade na exata definição dos prazos, mas considere 1 ano para o curto, de 1 a 5 anos para o médio e a partir de 5 anos para o longo prazo. 

Descubra o seu perfil de investidor

Um investidor é aquele que faz o dinheiro trabalhar por ele. É uma definição um tanto abstrata.

Sendo assim, merece uma explicação mais detalhada.

Gosto muito de como Robert T. Kiyosaki apresenta no livro Independência Financeira – O Guia do Pai Rico as 4 formas pelas quais se gera renda.

“Trabalhamos para comprar coisas que não precisamos.” – Filme Clube da Luta.

É o conceito do Quadrante de Fluxo de Caixa.

Cada quadrante situa como você gera a sua renda – e também onde poderia estar se o seu objetivo é alcançar a sonhada independência financeira.

  • O empregado ganha dinheiro mantendo o seu emprego. Ele trabalha para uma empresa pública ou privada e vende o seu tempo por um salário.
  • O autônomo exerce por conta própria uma atividade econômica e ganha dinheiro assim. Também vende a sua hora de trabalho, mas é dono do negócio. Médicos, dentistas e advogados são trabalhadores autônomos.
  • O empresário contrata pessoas para trabalharem para ele. Sua renda vem dos lucros do seu negócio.
  • O investidor ganha dinheiro colocando o próprio dinheiro para trabalhar para ele. É quando o dinheiro passa a gerar mais dinheiro.

Agora, todo investidor tem um perfil psicológico bastante específico.

Há muitas maneiras de definir o perfil de investidor, mas a grande maioria das instituições fala em 3 tipos:

  1. conservador;
  2. moderado;
  3. agressivo.

Para conhecer o seu perfil de risco, analise quais são as suas características psicológicas e seus objetivos financeiros.

Sugiro que use uma ferramenta prática que ajuda na descoberta do perfil do investidor, conhecida como o Teste de Perfil de Investidor.

Conheça os tipos de investimentos

Você reparou até aqui que a educação financeira tem como uma de suas principais regras fazer o seu dinheiro render mais todo mês.

Isso vale se você busca realizar um sonho (objetivo financeiro), ter uma reserva financeira para o caso de uma emergência (desemprego, doença) ou mesmo garantir um futuro melhor para a sua aposentadoria.

O mercado financeiro oferece diversos tipos de investimentos para que você consiga fazer o seu dinheiro crescer mês a mês.

Tenha o investidor um perfil conservador, moderado ou agressivo é uma característica comum a todos eles jamais deixar dinheiro parado na conta corrente.

Só assim se aproveitam os juros que um investimento oferece, não é mesmo?

De modo geral, os investimentos no mercado financeiro são classificados em renda fixa e renda variável.

Esta é uma classificação simplificada que facilita o nosso entendimento.

Você vai conhecer agora como cada um deles funciona e qual melhor combina com o seu perfil de investidor.

Elabore seu plano de investimento

Quem elabora um plano realista de investimento dá um passo fundamental para pensar nas aplicações que mais se adequam às suas metas financeiras.

“Se você fizer as coisas pela metade,você será fracassado.Nós descobrimos neste mundo que o sucesso começa pela intenção da gente e tudo se determina pelo nosso espírito.” – Napoleão Hill

Imagine que você tem um plano de voo em mãos.

Para chegar ao seu destino final, você precisa definir a sua aeronave, a rota e também como e em quanto tempo realizará a travessia.

Com as suas finanças, a lógica não é diferente.

Você precisa ter definidos quais são os seus objetivos financeiros e os prazos para a realização dos mesmos, conhecer o seu perfil de investidor e como fará a distribuição de seu dinheiro entre renda fixa e renda variável.

Comece a investir

Você agora está prestes a dar os primeiros passos em sua jornada como investidor!

Para começar a investir, você precisa escolher uma corretora de valores.

O primeiro passo é abrir uma conta numa das corretoras de valores cadastradas na B3 para que possa realizar as suas aplicações financeiras – sejam elas em ações ou em títulos do tesouro direto

Minha experiência mostra que a maioria das corretoras oferece quase o mesmo pacote de serviços.

O que é diferente são os 3 pontos elementares:

  1. Taxas e comissões cobradas pela corretora;
  2. Estabilidade do home broker;
  3. Bom atendimento.

Com a abertura da conta na corretora de valores, você precisa fazer um aporte de capital para começar a investir.

Só assim a sua jornada como investidor vai efetivamente começar.

A transferência de recursos para a corretora é um processo bem simples.

Monitore seus investimentos

Parabéns! Você já é um investidor desde que passou a aplicar o seu dinheiro e a fazer com que o rendimento atingido o ajudasse na realização de um sonho. 

Há muitas ferramentas e técnicas para todos os níveis de conhecimento.

Compilei 4 dicas que considero práticas e funcionais para auxiliar você a gerenciar os seus investimentos.

  1. Reavalie periodicamente os seus investimentos;
  2. Procure minimizar a quantidade de transações;
  3. Faça aportes mensais;
  4. Seja disciplinado e paciente.

Se chegou até aqui, é porque organizou suas finanças, definiu seus objetivos financeiros, descobriu seu perfil de investidor, conheceu os tipos de investimentos, elaborou um plano de investimento e começou a investir.

Tenho certeza de que não foi fácil.

Agora é o momento de praticar o hábito da paciência e deixar que o poder dos juros trabalhe a seu favor!

Baixe o app pra acompanhar suas finanças e tomar as melhores decisões na palma da mão!

Baixar app Guiabolso

Leia mais:

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *