Como elaborar um orçamento doméstico

administracao-orcamento-domestico-2

O resultado da precariedade técnica da população em geral na hora de avaliar o orçamento doméstico, aliado às pressões pelo consumo e pela mágica do financiamento facilitado podem ser medidos pelos recentes dados estatísticos: 60,9 milhões de brasileiros endividados. E você, quer sair desse rol e aprender a multiplicar seu poder de compra por meio de uma boa administração de recursos? Então, descubra a seguir como elaborar uma eficiente sistemática financeira familiar.
administracao orcamento domesticoConta de luz, energia elétrica, mensalidades escolares, gastos com materiais das crianças, sorvetes, compras mensais. Tudo, absolutamente tudo deve constar em um orçamento doméstico. E nada de caderno. O grau de interatividade proporcionado por uma planilha eletrônica é incomparável e facilita o tratamento de dados e a comparação com outros períodos. Dessa maneira, abandone o papel e caneta e crie uma plataforma no Excel, que será copiada em várias abas, cada uma, atualizada com os valores de um mês diferente (se você não sabe mexer nessa ferramenta, não se preocupe, existem inúmeras planilhas já prontas na web, basta baixá-las e inserir seus próprios números).
 
Depois, é hora de pensar como será efetivamente seu orçamento e sua organização. Assim como é feito em um balanço patrimonial de uma empresa, divida seu fluxo em receitas e despesas. Cada uma dessas colunas deverá ter dados separados segundo o critério fixo ou variável.
gerenciamento orcamento domesticoO mais importante: a conta deve fechar, ou seja, a soma dos seus ganhos não pode, jamais, ser inferior aos seus gastos. Quando as contas não fecham, significa que você teve que recorrer a “crédito suplementar” para equilibrar seu orçamento, o que significa falta de organização e conceito de como administrar seus recursos.
 
Assim, crédito pessoal e financiamentos só em último caso. Limites de cartão de crédito e cheque especial, jamais. Os juros desses dois últimos itens chegam a mais de 100% ao ano e podem te levar à falência em pouquíssimo tempo. Ah, e não se esqueça de separar uma conta chamada fundo de emergência- essencial tanto para quem quer se prevenir, como para quem desejar fazer uma viagem, trocar de carro ou quitar dívidas em andamento.]]>

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *