Como viajar sozinho gastando pouco

travel-1-1

Trabalhar, trabalhar e trabalhar. Depois de um ano fazendo isso nada melhor do que umas férias mais do que merecidas. O número de pessoas que viajam sozinhas vem aumentando a cada ano, seja em função dos custos ou até pela falta de uma boa companhia. Se você faz parte desse grupo (ou quer entrar, mas não sabe como), saiba que é possível viajar mais, melhor e gastando pouco. Não imagina como? Confira as dicas para você aproveitar mais e gastando menos na próxima viagem!

Organize-se

É muito bom fazer uma viagem de última hora, porém estas são as mais caras. Para conseguir economizar de verdade faça um bom planejamento financeiro. E um bom planejamento financeiro deve incluir tudo: desde as passagem para chegar ao local até uma reserva extra para compra de presentes para a família e amigos. Depois, analise se o valor necessário cabe no seu orçamento e, caso não caiba, prefira adiar a viagem para chegar a quantia necessária do que pedir um empréstimo para fazê-la.

travel2

Se informe

Depois de escolher o local onde vai passar suas férias, é hora de pesquisar locais e preços. A começar pelo valor da passagem até o local. Pesquise se é melhor ir de avião ou ônibus de viagem, muitas vezes os valores não são tão diferentes entre si e optar pela viagem de avião lhe dá um tempo maior para aproveitar a estadia. Nas sextas-feiras as tarifas aéreas costumam baixar devido ao alto número de desistências de última hora.

Prefira a baixa temporada

Antes de pensar o quanto você irá gastar, pense em quando você irá viajar. A grande maioria das cidades tem altas e baixas temporadas, escolher a temporada certa para viajar impacta muito nos custos da viagem. Na alta temporada, a cidade está mais agitada, com mais visitantes, portanto custos como refeição, hospedagem e locomoção estão mais altos. Evitar estas épocas pode reduzir em 50% os custos da sua viagem. Portanto, se organize para que suas férias coincidam com a baixa temporada.

Existem alternativas além dos hotéis

Viajar sozinho tem suas vantagens. Uma delas é não ter que se preocupar muito com as acomodações. É claro que um lugar confortável para descansar é imprescindível, mas hoje as opções vão muito além de um lugar apenas para descansar.

Os Hostels são sinônimos de descanso, conhecer gente nova e, às vezes, até festas, tudo num único lugar. As acomodações são muito mais baratas que os hotéis e, se você não se importar em dividir o quarto, algumas tarifas podem chegar ao preço de 20 reais por noite. É claro que nem tudo é perfeito e você pode cair em algumas roubadas como quartos superlotados, mas pesquisar em sites como o HostelWord e Booking, são uma ótima maneira de saber quão bons são os hostels com base nas recomendações de viajantes que já se hospedaram lá.

Além dos hostels, você pode ainda dormir no sofá de um local. Parece estranho, mas o CouchSurfing é uma prática bastante difundida. A ideia é muito simples, você se cadastra no site https://www.couchsurfing.org, escolhe uma cidade, pessoas que morem no local, envia um convite ou publica a necessidade da estadia, conversa com os donos da casa e fecha a estadia. O custo? Zero. É uma possibilidade a se pensar se a ideia de sua viagem for conhecer pessoas.

Vá ao supermercado

Pipa-Beach-BrazilIndependente de você ficar num hostel ou hotel, esta dica é muito válida para controlar os gastos. Bebidas em geral costumam ser mais caras nesses lugares. Para não consumir sem necessidade o que está no frigobar, faça compras básicas como água e refrigerantes para ter sempre disponível. Nos passeios pela cidade, optar por comprar barras de cereais e levar um squeeze  também ajudam a cortar aquele gasto extra quando bate a fome no meio do passeio. É um peso na bolsa, mas uma folga no bolso.

Use transporte público

Táxi apenas para tarde da noite e o deslocamento entre o aeroporto, ou rodoviária, e o local em que irá se hospedar. Embora seja o modo mais confortável de se conhecer a cidade é, sem dúvida, o mais caro, principalmente se o taxista desconfiar que você está turistando pela cidade. Não pense que ele quer lhe roubar na corrida, talvez queira apenas que você conheça a cidade melhor.

Muitas cidades tem um sistema fácil e rápido de transporte público. Use e abuse de trens, metrôs e ônibus. Nas grandes capitais, você pode recorrer ao aluguel de bicicletas. O cadastro é fácil, feito apenas com o número do cartão de crédito, além de barato, lhe permite conhecer melhor a cidade. E, quando você se familiarizar com os locais de sua preferência, vá a pé.

Coma bem e barato

Já falamos anteriormente sobre dar preferência para viajar fora da alta temporada, mas se não teve jeito, uma maneira de economizar com a alimentação é fugir dos pontos turísticos. Lá a comida normalmente é mais cara e em menor porção. Além disso, procure restaurantes que sirvam o “Prato do Dia” que geralmente é uma opção de prato com salada e suco. Se você comer pouco, os self-service e a kilo também são ótimas opções.

Use o Wi-fi

Em alguns momentos, cidades tão cheias de gente podem dar um sentimento de saudade e, nessas horas, nada mais natural que querer ligar pra alguém. Mas saiba que você não precisa gastar na conta do celular tudo o que economizou até agora. A internet deve ser um dos itens mais disponíveis gratuitamente nas cidades. Procure bares, cafés e, até mesmo nos hostels e hotéis, que ofereçam sinal de wifi, geralmente eles são gratuitos e bons. Evite ao máximo o uso do telefone e verifique se sua operadora tem pacote de dados acessíveis caso você necessite usar a internet no celular ou tablet.

Peça descontos

Na hora de comprar presentes e lembranças, não hesite, peça descontos. Não há o que ter vergonha pois você está negociando o preço, basta conversar com o vendedor para entender se há (ou não) a possibilidade do desconto. Nessas situações você pode ser surpreendido com a receptividade dos vendedores.

E por fim, pense bem no dinheiro

serra gaucha

Imagem da Serra Gaúcha

Não dá para viajar sem, ao menos, um pouco dele. Se tiver que fazer câmbio de moeda, pesquise o valor do Real na cidade de destino e o valor da moeda local no Brasil, às vezes compensa fazer o câmbio ainda no Brasil.

Separe o dinheiro disponível entre o limite e saldo do cartão e em espécie. Além de alguns estabelecimentos não aceitarem cartão, em algumas compras o poder de barganha é maior se o pagamento for em espécie. Por segurança, não ande com montantes acima de R$100,00 em espécie, a não ser que seja realmente muito necessário.

Para sua viagem lhe proporcionar apenas lembranças boas, não descuide de si próprio e busque o máximo de informações que puder. Curtiu as dicas, mas não sabe pra onde ir? Confira aqui no site Hypeness uma lista feita pelo site Price of Travel com as 116 cidades mais baratas para se viajar! Agora é só escolher a data!

 ]]>

One Comment

  1. Legal "véi"! Gostei das dicas.

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *