Compra de carro: usado, seminovo ou zero km?

Happy hispanic man in his new car

compra de carro

Está pensando em comprar um carro? Ótimo! Mas não se esqueça de que essa compra envolve um complexo processo de decisão, já que você precisa considerar vários fatores antes de sair de uma concessionária devidamente motorizado.

Você precisará escolher desde se vai pagar o veículo à vista ou financiado, até se vai optar por um automóvel novo, seminovo (até três anos de uso, um só proprietário e baixa quilometragem) ou usado. Todas essas opções apresentam tanto vantagens como desvantagens financeiras, que deverão ser consideradas na sua decisão.

Quer saber como identificar qual dessas é a melhor alternativa para você no momento? Confira as dicas do GuiaBolso sobre o que considerar na compra de carro:

Comprar um carro usado é realmente mais barato?

Os valores dos veículos seminovos e usados costumam ser tentadores, principalmente quando comparados aos carros básicos zero km. Mas apesar de os preços serem atraentes, é preciso ressaltar que o que vale aqui não é o preço em si, mas o custo-benefício do veículo.

Ainda que o carro usado seja mais potente e equipado do que um carro novinho que custa praticamente o mesmo, mas é 1.0 e sem itens adicionais, é preciso lembrar que o desconto é fruto de uma depreciação do mercado e que a vendabilidade do carro seminovo ou usado é muito menor do que a de um carro novo. Isso significa que, quanto mais velho for o automóvel, maior será a sua desvalorização.

Assim, a compra de um usado pode ser vantajosa em um primeiro momento, pois o custo é menor e o veículo tende a ser mais completo, porém, a longo prazo, essa aquisição pode representar uma desvantagem, especialmente na hora da troca ou da revenda.

 

O que compensa mais em termos de manutenção?

Para quem tem um pouco de dinheiro a mais no caixa e pretende ficar com o mesmo carro por pelo menos três anos, o mais indicado é adquirir um carro zero. Nesse caso, os gastos com manutenção são significativamente reduzidos e há a garantia da fábrica de pelo menos um ano.

Quanto mais rodado é o carro, mais sujeito ele está a passar por problemas mecânicos. É importante ressaltar que, quando o carro é muito antigo, nem mesmo o grande desconto na hora da compra compensa as incontáveis despesas com consertos.

Para evitar maiores dores de cabeça no futuro, se você optar por um veículo seminovo ou usado, pesquise o histórico do carro, veja suas condições e leve a idade em consideração. Além disso, para saber se o preço está mesmo justo, não se esqueça de conferir a tabela Fipe e recorrer a simuladores de financiamento.

O que considerar na hora da compra?

A compra de carro vai além do preço e das condições de pagamento. É necessário considerar, também, o valor do seguro e do IPVA, a incidência de IPI, a taxa de juros do financiamento, o estado de conservação do veículo, verificar se o modelo já saiu de linha, pesquisar sobre a assistência da montadora e a fabricação de peças, além de confirmar se o automóvel consome muito combustível.

Por falar nisso, no quesito economia de combustível, os seminovos se configuram como uma ótima pedida se optar pela compra de carro híbrido ou movido à diesel por um preço mais em conta do que os carros novos com essas mesmas características.

Como definir qual é o carro ideal para o seu perfil?

Não existe fórmula pronta para escolher o veículo certo, mas a regra de ouro para tomar a melhor decisão na compra de carro é ponderar seus interesses pessoais, estipular quanto você tem e pretende gastar e analisar qual é a alternativa mais indicada para o seu perfil de consumo.

Quer ficar livre dos custos das primeiras revisões, não quer ter problemas de manutenção e nem ficar refém demais da desvalorização? (Não esqueça que ao comprar um carro, ainda que novo, existe uma certeza: você vai perder dinheiro, já que no exato momento em que um carro 0 km sai da concessionária, ele já perde valor). Então, a opção mais indicada para você é um carro novo.

Agora, se você procura um carro mais completo, bem conservado e com o preço mais acessível, a opção mais indicada é comprar um carro seminovo. Por fim, se a sua maior preocupação é em pagar o menor valor possível, talvez você deva considerar a compra de um usado. Não deixe, entretanto, de colocar na ponta do lápis os custos de manutenção, que tendem a ser mais altos.

Para não errar, a dica é, antes de decidir, responder as seguintes perguntas em ordem de prioridade:

1. Qual o seu orçamento?

Quanto de dinheiro você tem disponível para a compra (à vista e em financiamento, procurando sempre negociar taxas de juros mais convidativas).

2. Quais as suas necessidades?

Se você tem família grande, é importante ter um carro grande ou quatro portas por exemplo. Se você pega muita estrada (viaja muito ou usa o carro a trabalho), é interessante ter um carro confortável e mais potente.

3. Quais os seus sonhos, gostos e preferências em um carro?

Preferência de cor, potência do motor, ar condicionado, vidro elétrico, farol de milha e afins. Esse item está em terceiro lugar na ordem de prioridade porque ele não é fundamental no processo de decisão, mas, se você tiver condições financeiras, torna a compra mais prazerosa.

 ]]>

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *