Confira nossas dicas para sair do vermelho

emprestimopranegativado

Então você não controlou o seu dinheiro, fez diversas compras a prazo, no cartão de crédito e agora tem uma dívida que mais parece uma bola de neve? Ou você passou por um grande problema e teve que gastar muito dinheiro de uma só vez, entrando de cabeça no cheque especial?

Apesar de tudo, fique tranquilo. Dívidas tiram o sono de qualquer um de nós, mas se você tiver um plano de ação poderá manter as contas em dia novamente. Confira nossas dicas para sair do vermelho.

Conheça o tamanho do problema

Ao entrar no vermelho a primeira coisa a se fazer é conhecer o tamanho do problema. Entender a maneira como a dívida foi contraída é importante para traçar um plano de ação, além de lhe ensinar a não cometer os mesmos erros.

Faça uma lista de todas as dívidas que você tem. Em seguida, relacione as características de cada uma delas. São informações como taxa de juros, a quantidade de meses em atraso, o saldo atual de cada dívida e o prazo para pagamento.

Logo você vai perceber que se trata de um volume grande de informações. Algo impossível de gerenciar apenas com a memória. Por isso, é extremamente recomendável utilizar uma planilha eletrônica para manipular essas informações.

Confira nossas dicas para sair do vermelhoFaça as renegociações

Depois de saber o tamanho das dívidas, você precisará renegociar cada uma delas. Renegociar significa falar diretamente com o seu credor. Não utilize intermediários. Empresas de  cobrança recebem comissão sobre o valor que você paga a elas. Em geral, intermediários só vão aumentar a sua dívida.

“O que vou dizer ao credor?” Basicamente, a verdade. Explique, de maneira objetiva, que sua situação financeira está complicada. Tenha em mente que renegociar uma dívida não é pedir para o credor perdoá-la. Numa renegociação, você precisa conquistar duas coisas: taxas de juros menores e um prazo maior para realizar os pagamentos.

As taxas reduzidas e os prazos maiores vão permitir que as dívidas se enquadrem no seu orçamento mensal. Não pense que você vai passar 36 meses pagando prestação de dívida. O prazo estendido é apenas um alívio para você se organizar e quitar os débitos o quanto antes.

Compare as taxas de juros das suas dívidas com empréstimos pessoais do banco

Depois das renegociações, volte para sua planilha e atualize todas as informações. Em seguida, observe qual é a dívida que possui a maior taxa de juros. Em geral, são as referentes a cartões de crédito e cheque especial.

Procure saber o valor das taxas de juros de empréstimos pessoais no banco em que você possui conta. Se a taxa do empréstimo for menor do que a taxa de alguma de suas dívidas, é preferível pegar um empréstimo pessoal e quitar esse  débito a vista. Essa prática consiste em trocar uma taxa de juros alta por uma menor, mudando o tipo de dívida. De cartão de crédito para empréstimo pessoal, por exemplo.

Lembre-se que taxas de juros são negociáveis. Se você possui um relacionamento com o banco, converse pessoalmente com seu gerente e explique que você quer quitar uma dívida. Talvez ele possa baixar ainda mais a taxa de juros do empréstimo.

Controle seu orçamento familiar

Essa é a nossa dica mais importante. Controlar o orçamento familiar é entender como o dinheiro é gasto na sua casa. Relacione todos os custos que você possui, separando-os em custos fixos e variáveis.

Os custos fixos são aqueles que ocorrem regularmente e que você não pode evitar. Aluguel, contas de água, luz, mercado, condomínio, seguro do carro e prestações das dívidas. Os custos variáveis são aqueles que não ocorrem com regularidade. Presentes de datas comemorativas, viagens, passeios, despesas com vestuário e lazer. Muitos dos custos variáveis são passíveis de corte.

Confira nossas dicas para sair do vermelhoSeja rigoroso com o corte de gastos

Ao fazer o orçamento familiar, você vai perceber o que realmente é essencial e o quanto isso representa em relação ao seu salário. Tente perceber o quanto você gasta nos custos variáveis. Para sair do vermelho, você vai precisar cortar a maioria deles.

Não tenha medo de reduzir seu padrão de vida. Sair do vermelho é um processo temporário e que vai te ensinar a controlar melhor o seu dinheiro. Portanto, se você está empenhado em realizar um plano para quitar suas dívidas, certamente você sairá dessa muito mais experiente. Lembre-se, quando for retomar os custos variáveis, retome com consciência.

Mantenha a família informada e unida.

Muitas famílias são despedaçadas pela falta de planejamento financeiro. O corte de custos pode causar estresse entre o casal, especialmente quando se tem filhos pequenos. Ao entrar no vermelho, é importante manter a família unida.

Todos os membros precisam estar informados sobre o que está acontecendo. Tome as decisões de corte levando em conta as necessidades de todos os membros da família. Pelo menos ouça o que cada um tem a dizer. Não tenha vergonha de abrir o jogo com seus filhos. Essa pode ser uma ótima oportunidade para ensinar a eles a importância do consumo consciente.

Essas dicas podem te ajudar a sair do vermelho e a conquistar um futuro melhor. Conhece mais alguma?]]>

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *