Cortar, renegociar e diminuir: 12 dicas para economizar nesse tempo de Covid-19

corte_despesas

Por Guilherme Campos

Os impactos do novo coronavírus já estão sendo sentidos no Brasil e em muitos outros países do mundo. Mas as preocupações vão além do sistema de saúde e da possibilidade de ser infectado ou transmitir a doença. Seu bolso e seu orçamento também podem sofrer com esse problema.

Pensando nessa situação, o Guiabolso separou 12 dicas preciosas para economizar e fazer o seu suado dinheiro de cada dia valer mais e ser a diferença em seu favor e em benefício de seus familiares.

Além dessa ajuda, o app de planejamento financeiro continua a te oferecer um serviço gratuito de organização de seus gastos. Vale à pena você ficar de olho neles neste momento. Esse hábito vai para te ajudar a enfrentar essa crise e superá-la da melhor maneira possível. As recomendações estão separadas em três grandes categorias:

  • Cortes de gastos 
  • Renegociação de despesas 
  • Diminuição e/ou controle

Cortes de gastos

1 – Tarifas bancárias

Já não é de hoje que o Guiabolso faz esse alerta. Tudo bem que em alguns casos o custo pela manutenção da conta bancária ou pagamento da anuidade do cartão de crédito podem fazer sentido. Principalmente em caso de se fazer muitos saques, transferências de recursos ou ter programas de milhagens que valem a pena.

Mas em tempos de incertezas e de riscos maiores de se ganhar menos, tirar essas contas da lista de despesas pode fazer a diferença. Quer um exemplo? Em um ano os brasileiros gastaram, em média, pouco mais de R$ 715, somente com o pagamento da manutenção da conta bancária e anuidade do cartão de crédito.

2 – Assinaturas de apps, revistas, TVs a cabo e streamings de conteúdo

É claro que todo caso abriga exceções. Mesmo assim sempre é válido colocar na balança a real necessidade daquela conta no fim de mês. Levando em consideração a opinião dos especialistas de ser mais conservador, ampliar a reserva de emergência e tentar conter gastos supérfluos, nada mais interessante que eliminar alguns gargalos.

Uma pesquisa do Guiabolso revela que em fevereiro, o gasto médio dos usuários com streamings de filme, em 12 meses, chegou a R$ 428. Já com o streamings de música as despesas foram R$ 242 em 12 meses. 

3 – Academia de ginástica

Em tempos de estabelecimentos fechados por causa do Covid-19, o cancelamento da conta com a academia de ginástica pode ser uma boa medida. Mas antes de cancelar a matrícula vale uma boa conversa com a empresa. Algumas estão oferecendo uma espécie de congelamento do plano até as atividades serem retomadas.

Caso não seja possível congelar o plano, outra opção que pode ser levada em conta é a de conseguir um desconto pelo período em que as portas estiverem fechadas.

4 – Serviços domésticos/Cuidadores de crianças

Com a recomendação de que se faça home office e evite sair de casa, muitos pais podem passar a ser os responsáveis por olhar os filhos o tempo todo. Essa agenda flexível somada ao cuidado de se evitar deslocamentos longos pode estimular a dispensa temporária de funcionários como as babás. A mesma regra pode ser aplicada para os serviços domésticos oferecidos por empregadas e diaristas.

Nestas situações, o diálogo pode ser ponto fundamental. Caso os patrões não tenham nenhuma restrição de receitas pode ser possível negociar o que se fazer em termos de pagamento de faxineiras. Mas em caso de mudança de valores, um outro acordo pode ser feito. Desde a dispensa temporária, com o funcionário buscando outras alternativas para ter renda, até a diminuição da frequência do serviço de faxineira. O importante é que as duas partes não sejam prejudicadas nem saiam no prejuízo financeiro ou de saúde. 

5 – Aluguel de garagem no serviço

Muitos governos estaduais recomendaram a suspensão de atividades comerciais que não são consideradas essenciais. Com isso, grande parte das empresas determinaram o regime de trabalho home office. A liberação da presença física pode favorecer outro tipo de acordo: o custo mensal do estacionamento.

Essa conta pode ficar ainda mais gorda se colocarmos na ponta do lápis o custo com combustível ou com o transporte público. Essa economia compensa outras despesas que podem ficar mais altas, como as contas de energia elétrica e água. Afinal, você e sua família vão passar mais tempo em casa nas próximas semanas. 

6 – Home office dos cuidados pessoais

Da mesma forma que as academias, os shoppings centers e as lojas físicas terão as portas fechadas para se evitar a transmissão do novo coronavírus, alguns tipos de serviços não vão funcionar como acontece habitualmente. A paralisação temporária de atividades como salão de beleza, manicure e barbearia pode ajudar a conter gastos e estimular o chamado “do yourself”, ou faça você mesmo.

O resultado poderá não ser o mesmo, mas a carteira vai ficar um pouco mais cheia. E esse hábito pode ser mantido no futuro, principalmente se a situação financeira não estiver das melhores ou o foco continuar sendo o de poupar recursos ou gastá-los com outras prioridades. 

Renegociação de despesas

7 – Aluguel

A lógica vale tanto para residências, como para estabelecimentos comerciais. Antes de começar a conversa com o proprietário, vale lembrar que a economia como um todo funciona como uma engrenagem e que é bem mais difícil se sustentar de forma equilibrada com todo o entorno na pior. E como alguns terão os ganhos prejudicados pelas medidas emergenciais adotadas a saída terá que ser a conversa e a tentativa de empurrar algumas obrigações para frente.

Não se trata de uma inadimplência proposital ou premeditada, mas de um ajuste para um período atípico. Da mesma forma, o credor terá de ter paciência e compreensão. É melhor receber depois, ou um pouco menos, que perder de vez aquele rendimento.

8 – Escola e cursos

O mesmo raciocínio pode ser aplicado para as escolas e os cursos. Tudo bem, que parte da rede pública de ensino deve antecipar o período de férias, assim como as instituições particulares. Mas a saída para os que estão com a situação apertada pode ser a de barganhar diretamente algum desconto no pagamento.

Outro caminho pode ser a troca de uma mensalidade ou parte dela por um serviço prestado à escola ou instituição que oferece o curso. Então em nome da concessão do desconto ou da isenção naquele mês, você ou algum familiar pode oferecer uma consultoria ligada à atividade profissional desempenhada ou uma tarefa de manutenção que seria arcada pela instituição.

Além disso, alguns lugares estão oferecendo cursos online gratuitos aos brasileiros (outra opção aqui), artistas estão fazendo apresentações e as transmitindo gratuitamente pela internet e canais e meios de divulgação de conteúdo estão disponibilizando atrações e acesso gratuito a séries (mais opções aqui, aqui e aqui).  

Diminuição e/ou controle

9 – Aplicativos de comida 

Com mais tempo em casa e a recomendação de se evitar grandes concentrações de pessoas, os brasileiros estão fazendo quase todas as refeições em casa. Mas com a necessidade de conciliar tarefas domésticas, cuidados com os filhos e atividades do trabalho, pode ser que o tempo fique curto e seja preciso recorrer ao serviço de entrega de comida.

A recomendação é que se tenha cuidado com o volume de pedidos e os valores médios de cada um deles. Uma saída pode ser a consulta de preços (tarefa que os próprios aplicativos auxiliam); outra, a procura por lugares que oferecem marmitas a preços mais em conta e contam com o suporte dos entregadores.

Ter visibilidade das despesas com esse tipo de gasto pode fazer a diferença entre se assustar com a conta do cartão de crédito no final do mês ou economizar um valor considerável aproveitando cupons de desconto ou preços especiais. Para se ter uma ideia do impacto destas despesas, o Guiabolso consultou informações de 203 mil usuários de todo o país nos últimos 12 meses e constatou que eles gastaram, em média, R$ 1.227 no período.

10 –  Plano de celular

Em tempos de contenção de despesas outro alvo pode ser o telefone celular. Um primeiro caminho é o de avaliar com sinceridade o que se gasta dele e o que faz sentido realmente manter. O que for desnecessário pode ser adiado ou simplesmente deixado de lado. Outro caminho pode ser o de consultar as empresas concorrentes em nome de uma oferta mais vantajosa. A existência de mais de um ofertante do serviço pode ser aliada no momento de se conseguir mais benefícios e um preço mais atraente.

11 – Água e energia elétrica: uso consciente

Passar mais tempo em casa é sinônimo de aumento dos gastos com energia elétrica e água, ainda mais com a recomendação de se aumentar os hábitos de higiene em nome de se combater o novo coronavírus. Mas o impacto pode ser reduzido se esse uso maior for recompensado com outras medidas.

Uma delas pode ser a do banho mais rápido ou a de fechar as torneiras enquanto se ensaboa as mãos. Em relação à energia elétrica uma saída pode ser a de todas as pessoas da família tentarem adotar rotinas e horários semelhantes para realizar as atividades, inclusive refeições e lazer. 

12 – Mercado

Este é um dos poucos lugares que continua aberto, mesmo com as medidas de combate ao novo coronavírus. Um dos cuidados deve ser o de pesquisar valores em nome de se evitar cobrança abusiva de alguns itens muito procurados. Outra dica é a de ir ao mercado como uma lista pronta. Além de te ajudar a ser mais objetivo e se expor menos ao novo coronavírus, a medida pode gerar uma conta mais baixa.

Além disso, uma pesquisa do Guiabolso revela que ir com menos frequência ao supermercado pode gerar uma economia significativa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *