Qual o melhor seguro de vida para você?

guiabolso

Atualizado em 09/04/2021

O seguro de vida ainda é um produto financeiro ainda cercado de muitas dúvidas. Infelizmente, por ser um produto muito associado à morte.

Se você tem família e os filhos ainda são pequenos, contratar um seguro de vida pode lhe dar tranquilidade, principalmente se você for o principal provedor da casa.

Com o passar dos anos, com o crescimento dos filhos e a capacidade deles em se virar sozinhos, você poderá reduzir a cobertura do seguro, principalmente se você tiver outros investimentos, como uma previdência privada.

Veja abaixo as informações que você precisa para isso.

O que é seguro de vida?

O seguro de vida é um serviço que te protege contra eventos específicos determinados no momento da contratação. 

Ele consiste no pagamento de uma indenização que ameniza a crise financeira que normalmente acompanha eventos fatais ou outras ocorrências graves, mas que não tenham levado à morte. 

Assim, é importante saber que o seguro de vida não é apenas válido para casos de morte, mas também funciona em situações de invalidez, já que podem comprometer a fonte de renda familiar.

Para que serve o seguro de vida?

Ao fechar um contrato, a seguradora garante que vai proteger financeiramente a sua família, ou quem seja seus beneficiários indicados no seguro, caso aconteça algo inesperado com você. 

Por isso mesmo, o seguro de vida pode ser destinado a uma ou mais pessoas e oferece várias opções de cobertura, mas tudo isso depende do plano contratado. 

O seguro de vida serve portanto para proteger pessoas próximas e você mesmo em caso de invalidez ou mesmo morte.

Por que contratar um seguro de vida?

O seguro de vida é um investimento em sua segurança financeira. Algumas vantagens de contratar o produto:

  • Segurança: é uma proteção financeira para um futuro incerto porque garante a você mesmo ou seus beneficiários um recurso em caso de imprevistos.
  • Liberdade e personalização: você pode deixar como beneficiário pessoas que inclusive não irão receber sua herança. Além disso, é possível personalizar a cobertura e valor de acordo com o seu estilo de vida.
  • Sem burocracia: os recursos são liberados rapidamente nos casos cobertos (em até 30 dias), sem que os beneficiários tenham de esperar o inventário e partilha de bens. Além disso, a indenização do seguro de vida é isento de Imposto de Renda.

Benefícios

Como você já deve ter percebido até aqui, os benefícios do seguro de vida são muitos:

Manutenção do padrão de vida familiar

Em caso da sua ausência, o seguro de vida garante uma indenização que ajudará a família, ou quem seja seus beneficiários indicados no seguro, a manter o padrão de vida por um tempo.

Educação dos filhos

O dinheiro a ser recebido em caso de eventualidades também pode garantir a educação dos seus filhos no futuro.

Plano de Saúde

Sabemos como é caro manter o plano de saúde de nossos dependentes. O seguro de vida pode garantir essa renda para quem você ama estar sempre bem.

Beneficiários

Você pode escolher qualquer pessoa como beneficiário, não só membros da família.

Sem inventário

Em caso de morte, o dinheiro do seguro de vida não entra no inventário. Com isso, os beneficiários evitam taxas, além de receber o dinheiro rapidamente.

Dinheiro para despesas extras

Também em caso de morte, como você deve saber, surgem muitas despesas extras como gastos com funeral e médicos. Para não deixar sua família desamparada e eventualmente até se endividar, o seguro de vida é uma opção para garantir dinheiro nesses momentos.

Vale a pena ter mais de um seguro?

Por ser a única modalidade de seguro em que não é possível estimar o valor de cobertura (afinal, o valor da vida é imensurável), o seguro de vida tem algumas particularidades em relação aos seguros de bens em geral.

Quando falamos de seguro de automóveis e residências, por exemplo, você é obrigado a declarar à seguradora que fez um segundo seguro, pois não é permitido que o beneficiário receba mais que o valor de mercado do bem como indenização. 

No caso do seguro de vida, por não haver esse limite (de cobertura), você pode ter quantos seguros de vida quiser ou puder pagar. Mas será que vale a pena?

Depende do valor que você acredita ser necessário deixar para a sua família. Se o valor que você pretende deixar no caso de morte exceder o valor que a seguradora coloca como teto, vale a pena, então, fazer mais de um seguro de vida. 

Porém se a sua seguradora cobre o valor que você acha justo como indenização, não há a necessidade de outro seguro. Isso porque com um segundo seguro você pagará duas vezes mais taxas e impostos, e esse dinheiro poderia estar sendo investido em outras necessidades.

Como calcular o valor do seguro?

Para calcular o valor do seguro de vida, você precisa calcular o impacto que a sua ausência causaria no dia a dia dos seus pares.

Se for o único provedor e seu/sua cônjuge está fora do mercado de trabalho há um tempo, é justo que você preveja um certo tempo para que ele/ela consiga uma recolocação.

Nesse caso, calcular de cinco a dez anos do seu salário pode ser um bom volume para a indenização. Já se o(a) seu(sua) companheiro(a) trabalha e contribui para as despesas da casa, esse valor pode ser menor. 

Pense no estilo de vida de sua família, nas características pessoais de seus filhos, para calcular por quanto tempo eles podem precisar desta ajuda.

Cuidados ao adquirir o seguro de vida

Como qualquer produto financeiro, vale a pena pesquisar taxas e amplitudes de cobertura em várias seguradoras antes de fechar o contrato. 

Muitas empresas oferecem esse benefício aos funcionários, com valores menores que em um seguro individual pode ser o caso da sua.

Atenção principalmente é solidez financeira da instituição onde pretende fazer o seguro, para não ser pego de surpresa por uma falência, por exemplo.

Um seguro de vida pode trazer uma tranquilidade necessária à sua família, principalmente quando você ainda não formou um patrimônio que possa deixar para seus filhos no caso de sua ausência. 

Mas lembre-se de que ele não é um investimento para você, e você deve se planejar (e se cuidar) para que a sua família não precise dele.

Como funciona e quais são as coberturas do seguro de vida?

O seguro de vida é estabelecido por um contrato entre você e a seguradora. Nele, irá constar o valor do prêmio (o valor mensal que irá pagar à seguradora para ter direito à cobertura), o valor da cobertura, os tipos de cobertura e os beneficiários, quem irá receber o dinheiro.

Preço mensal (prêmio)

Os preços a serem pagos mensalmente variam de acordo com alguns fatores, como coberturas, idade, capital segurado, entre outros, por isso, na hora de fechar negócio, avalie qual seguradora tem a melhor oferta diante do quanto você pode pagar! 

Quanto maior for o grau de risco escolhido pelo usuário, ou seja, a quantidade de situações estabelecidas e os perigos relacionados a elas, maior será a mensalidade exigida pela seguradora.

Valor da cobertura ou apólice

Mesmo que você seja do tipo que gosta de viver a vida sem pensar no amanhã, é bom lembrar que o seguro de vida é, na verdade, uma segurança para aqueles que dependem de você. 

Sabemos que não é tão fácil imaginar qual seria o valor ideal da indenização, mas calcular o impacto que a sua ausência causaria no dia a dia dos seus dependentes é uma boa dica para se aproximar dele.

Se você for a única fonte de renda da família, é justo que você considere que levará um tempo até que outra pessoa se insira no mercado de trabalho. 

Nesse caso, calcular de cinco a dez anos do seu salário pode ser um bom volume de indenização. 

Por outro lado, se outra pessoa também já contribui financeiramente com as despesas da casa, a apólice pode ser menor.

Outra dica é pensar no estilo de vida de sua família e nas características pessoais de seus filhos para calcular por quanto tempo eles precisariam dessa ajuda. 

Se você já tem uma reserva, ela também deveria entrar na conta já que também é um colchão para você e sua família viverem por um tempo, já que, o acesso da família a essa reserva em caso de morte depende do inventário e do pagamento do ITCMD, que pode chegar a 6% do valor do patrimônio em alguns estados. 

O seguro é um recurso imediato para o pagamento do ITCMD e acesso ao patrimônio.

Se optar por contratar o seguro de vida pelo Guiabolso, a gente já entende o seu perfil financeiro, de acordo com as contas conectadas, e te indica qual seria a melhor cobertura. 

Baixe o app e conecte suas contas pra encontrar produtos financeiros que fazem sentido para sua vida financeira.

Baixar app Guiabolso

Leia mais

2 Comments

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *