Descomplicando o Open Banking: O que o Open Banking muda na sua vida?

Para te ajudar a entender mais sobre a regulamentação do Open Banking, o Guiabolso criou uma série de conteúdos chamada “Descomplicando o Open Banking”

Capa 2

Publicado em 18/08/2021

O Guiabolso segue ajudando a disseminar informações de qualidade sobre o Open Banking. Foi pensando em ajudar os nossos usuários a saber tudo sobre a regulamentação que nós criamos o Descomplicando o Open Banking, uma série de conteúdo para te ajudar a conhecer mais sobre.

O primeiro episódio sobre o que é o Open Banking já está disponível no nosso canal do Youtube.

Neste segundo conteúdo, nós queremos te explicar como o Open Banking vai afetar diretamente o teu dia a dia e o teu relacionamento com as instituições financeiras.

Relembrando um pouco o conteúdo do primeiro episódio, o principal objetivo do Open Banking é trazer maior liberdade pros usuários ao criar um mecanismo para que eles possam compartilhar os seus dados gerados em um banco ou instituição financeira com qualquer outra instituição financeira da sua escolha.

Com isso, o usuário deixa de ser refém daquele banco que ele tem um relacionamento mais longo e passa a ter um maior poder de escolha, isso aumenta a concorrência no mercado e gera serviços melhores e mais baratos.

Por que compartilhar seus dados no Open Banking?

Algumas das vantagens que o Open Banking trás na prática com esse compartilhamento de informações são: 

  • Pegar empréstimo em um banco que não te conhece mas que oferece uma taxa menor do que a do seu banco atual
  • Receber um limite maior no cartão de crédito
  • Comprovar renda de forma simples e rápida para um aluguel, por exemplo
  • Organizar melhor suas finanças usando um aplicativo de gestão financeira, como o Guiabolso.

Além desse sistema de compartilhamento de dados, o Open Banking também cria uma forma do usuário movimentar o dinheiro que está depositado em um banco através da plataforma de outras instituições. Mais uma vez, com o objetivo de dar maior autonomia para o usuário e acabar com a dependência que ele tem com um banco, isso é o que a gente chama de serviços de iniciação de pagamento. 

Na prática, você vai poder usar o serviço de iniciação de pagamento para movimentar diferentes contas em um só aplicativo ou site, pagar uma cobrança com diferentes contas bancárias, comprar em um e-commerce usando um débito direto da sua conta, entre muitas outras possibilidades.

Comparação pré e pós Open Banking

O Open Banking vai trazer algumas mudanças significativas na relação entre os clientes e as instituições financeiras. Com o novo sistema, o cliente terá uma maior facilidade em iniciar relacionamentos com novas instituições, já que poderá levar seus dados com ele. Vai ter também acesso a produtos e serviços mais competitivos e personalizados, já que as instituições terão uma visão mais completa da sua vida financeira.

Além disso, os usuários terão uma forma mais segura de compartilhar os seus dados porque com o Open Banking, as instituições participantes precisam seguir protocolos rígidos de segurança para compartilhar essas informações. 

O Open Banking é seguro?

É importante entender que com a implementação do Open Banking, não significa que os dados dos usuários serão públicos, mas sim que os usuários terão autonomia para fornecer suas informações para quem quiserem e quando quiserem de uma forma eficiente e segura. 

Para garantir que todos os processos do Open Banking sejam confiáveis e seguros, foram definidos padrões e mecanismos rígidos de segurança da informação, que deverão ser adotados por todos os participantes do ecossistema.

Vale lembrar que existe no Brasil a Lei Geral de Proteção de Dados ou LGPD, que tem como principal objetivo proteger a liberdade e a privacidade dos indivíduos do nosso país.

Ela é peça fundamental para o bom funcionamento da regulamentação porque estabelece as normas sobre como as empresas devem coletar, armazenar, processar e apagar os dados pessoais de seus clientes. Ou seja, ela define o que as empresas podem ou não fazer com os seus dados. 

Quais dados serão compartilhados no Open Banking?

Com o Open Banking, você vai poder compartilhar inicialmente, três tipos de dados:

  • Os dados cadastrais, ou seja, seu nome, CPF, RG, endereço, entre outros.
  • Os seus dados transacionais, ou seja, todas as suas movimentações financeiras, seu saldo na conta concorrente e gastos nos cartões de débito e crédito. 
  • Dados sobre suas operações de crédito, ou seja, contração de crédito pessoal, financiamento e cheque especial.

Com a ampliação do escopo do Open Banking para o que chamamos de Open Finance, você poderá compartilhar mais três tipos de informações:

  • Operações de câmbio
  • Dados sobre os seus investimentos
  • Dados sobre os seguros que você contratou

Vale lembrar que: é você que escolhe quais dessas informações quer compartilhar com uma instituição, não sendo necessário compartilhar todos os seus dados. Ah, e é você que determina também o tempo que os seus dados serão compartilhados com a instituição em questão.

Baixe o app para começar a experimentar como o Open Banking funcionará na prática

Baixar app Guiabolso

Leia mais

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *