4 dicas financeiras para a vida a dois

03A44269

03A44269

Controlar as finanças  é uma algo difícil de se fazer individualmente e que fica ainda mais complicado na vida a dois. Além das dificuldades em acertar como as contas serão pagas, quem decide abrir o jogo e dividir a vida financeira também enfrenta as diferenças de comportamento do cônjuge, que influencia na forma como o dinheiro é administrado.

Se tudo não for muito bem conversado e esclarecido, o que deveria ser um importante passo para a consolidação de uma parceria pode acabar atrapalhando um relacionamento que até então estava indo muito bem. Para te ajudar a não cair nesse tipo de cilada, nós temos algumas dicas que vão facilitar a sua vida na hora de acertar as contas de casa do casal. Dê só uma olhada!

 

Dialogue sempre

O primeiro passo para acertar as finanças do casal é ter uma conversa sincera. É preciso que cada um entenda como anda a vida financeira do outro, o quanto cada um ganha e quais são os gastos que cada um costuma ter. Entendidas essas particularidades, é hora de definir quais são as despesas que vocês têm em comum e como vão gerenciá-las: quem vai pagar o quê, ou como será feita a divisão das despesas.

Além disso, vocês também precisarão acertar como serão feitas as economias, pois uma reserva financeira é algo necessário para manter a tranquilidade em tempos de crise e até mesmo conquistar novos sonhos, como uma casa ou carro novo, e ambos precisarão contribuir para isso de alguma forma.

 

Divida os encargos financeiros proporcionalmente

Na hora de decidir como cada um irá pagar as despesas, poupar e fazer seus gastos individuais é importante que seja respeitado o poder de aquisição de cada um. Provavelmente, haverá um lado que ganha mais que o outro e essa diferença deve ser respeitada para viver em harmonia. Se você ganha R$ 2000 por mês e seu cônjuge apenas R$ 1000 não será justo pedir que ambos guardem 500 reais por mês em uma poupança, por exemplo, pois enquanto você estará dando 25% do seu salário o outro estará poupando metade de tudo o que ganha e passará por alguns apertos para atingir essa meta. Nessas horas, é interessante que cada um avalie suas possibilidades e faça suas propostas, com muita boa vontade e sem imposições.

 

Seja flexível para adequar o orçamento

Quando você concorda em viver com uma pessoa, é preciso que os estilos de vida de ambos se adequem para que a convivência seja harmônica, e isso também vale para as finanças. Muitas vezes as pessoas gastam mais dinheiro em coisas diferentes e é preciso entender essas particularidades e estar disposto a modificá-las para o bem comum. Ambos os lados precisarão ceder de vez em quando, tanto para gastar, quanto para poupar.

 

Planeje seus gastos, metas e sonhos

Dividir as despesas só faz sentido quando as pessoas têm planos em comum. Além de acertar como vocês vão gastar e economizar o dinheiro, vocês também precisam estar de acordo com os objetivos disso tudo. Façam planos a longo e curto prazo, e estipulem metas para alcançá-los. Assim será mais fácil passar por fases mais difíceis sabendo que depois dela vocês estarão mais próximos de uma conquista conseguida conjuntamente!

Apesar das dificuldades que uma vida financeira compartilhada pode trazer na hora de se organizar, os benefícios com certeza compensam. É só pensar que nas horas difíceis nunca estará sozinho para encontrar uma solução e quando as coisas melhorarem você terá alguém para comemorar ao seu lado!

 

Tem alguma dica para os casais que procuram por uma vida financeira tranquila e equilibrada? Conte para a gente suas técnicas! Comente!

]]>

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *