Dicas para não cair na malha fina da Receita Federal

planilha-de-gastos-ir-2

Receita Federal, durante a primeira triagem, cerca de 3 milhões de declarações apresentam algum erro. Destas, pelo menos 60% caem na malha fina são porque algum rendimento obtido foi esquecido de ser declarado.
Portanto, antes de mais nada, dê uma boa repassada de olhos na sua planilha de gastos e verifique se todos os cálculos estão corretos e se todos os seus ganhos foram computados. Lembre-se, por exemplo, que ganhos de dependentes – como filhos já adultos, pais ou avós aposentados – também devem ser declarados. É o caso de bolsas de estudos ou de estágio, que acabam fazendo com que a declaração do IR seja detida, por isso tudo deve constar da sua planilha de gastos.
Por outro lado, resgates dos planos de previdência privada e honorários recebidos por profissionais liberais também devem constar da declaração do IR. Os gastos médicos também caem frequentemente na malha fina, principalmente quando a Receita Federal cruza os dados declarados com a Declaração de Serviços Médicos e de Saúde (Dmed) que é preenchida pelos profissionais de saúde – e aí a dica é guardar sempre todos os recibos médicos.
Se você vendeu um imóvel no último ano também deve ficar atento: os lucros obtidos na transação também deve ser informados, e ele é calculado determinando a diferença entre o preço de compra e o de venda. Quando o lucro é existente ele deve ser declarado através de um programa auxiliar encontrado no próprio site da Receita, o Ganhos de Capital.
É sempre bom lembrar também que após a entrega o acompanhar o processamento no site é fundamental, porque é ainda é possível corrigir alguns problemas encontrados.]]>

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *