Empréstimo para empresas: tudo que você precisa saber

empréstimo a empresas
Unsplash
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é banner-mktplacedireto-2-2.png

Empréstimo para empresas pode gerar algumas dúvidas: Quais são as principais opções disponíveis? Quais as principais vantagens e desvantagens? Como planejar a saúde financeira da minha empresa para poder pegar um empréstimo?

Abaixo, nós vamos conhecer as principais modalidades de crédito PJ e como elas podem ser interessantes para a sua empresa.

Essas são as opções mais comuns:

Antecipação de recebíveis

Essa é uma boa saída para construir capital de giro para a sua empresa: você antecipa um valor que vai receber no futuro e vai pagando em parcelas. Quando receber o valor, ele fica integralmente na conta da sua empresa.
BNDES
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social do governo Federal existe justamente para isso: oferecer crédito de longo prazo com boas condições, para desenvolver empresas que podem apresentar impacto positivo para a economia do País. Para conseguir um empréstimo no BNDES, sua empresa precisa detalhar a finalidade do dinheiro, e o processo deve ser feito com uma instituição financeira credenciada.
Cooperativas
A principal vantagem das cooperativas: empréstimos isentos de impostos como CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), PIS (Programa de Integração Social) e Cofins. Você precisa comprar uma cota da cooperativa, tornando-se sócio da mesma. A partir disso, são disponibilizados diferentes produtos financeiros para a sua empresa.
Empréstimos de Bancos
Os bancos são responsáveis por mais de 70% das operações de crédito no Brasil. Pode fazer sentido considerar um empréstimo no banco onde você já tem sua conta PJ. As opções também costumam variar: capital de giro, financiamentos, compra e renovação de infraestrutura, expansões e investimentos nos mais diversos setores. Às vezes, é necessário apresentar um planejamento dos gastos.
Fintechs
Eu, Guiabolso, sou uma fintech: uma empresa que utiliza tecnologia inovadora para oferecer soluções financeiras melhores e mais práticas. Existem muitas fintechs que oferecem empréstimos PJ, muitas delas são minhas parceiras. Eu diria que as principais vantagens são: análise de crédito assertiva, processo fácil, ágil, sem burocracia e 100% digital. 
Investidores Anjo
Investidor anjo pode ser uma pessoa física ou um grupo de pessoas que enxerga potencial em determinadas microempresas e investe dinheiro para que elas se desenvolvam. Eles também contribuem como “consultores” e, em troca, passam a ter uma participação minoritária no negócio.
Leasing
Leasing é um empréstimo de equipamento: a empresa (geralmente pequena) toma emprestado o maquinário necessário para produzir seus produtos, por um valor fixo mensal. Quando acaba o prazo, a empresa tomadora pode devolver ou comprar o equipamento
P2P Lending
P2P significa peer-to-peer – é uma modalidade em que várias pessoas diferentes investem em uma mesma empresa, para gerar um crédito coletivo, até chegar no valor desejado pelo proprietário da empresa. É como se fosse uma “vaquinha” PJ. Esse processo costuma ser 100% online, e com juros e taxas menores.

E como saber se eu preciso de um empréstimo para a minha empresa?

Eu gosto muito das recomendações do SEBRAE, que lista os 5 passos principais antes de pedir crédito empresarial:

1. Identificar a necessidade de crédito

É fundamental ter claro o valor do financiamento e a finalidade do recurso pretendido. Do que você precisa? Máquinas e equipamentos? Capital de giro? Dinheiro para alugar e reformar uma sede?

2. Buscar informações e escolher a instituição financeira

Depois de se informar sobre as linhas de financiamento que fazem mais sentido, procure quais instituições financeiras têm essas linhas. Essa pesquisa é vital, porque as condições de custos, prazos e limites podem variar bastante para cada instituição. 

3. Analisar os fatores de restrição

Nunca deixe de estar com todos os pré-requisitos básicos em dia – como situação legal, garantias e capital próprio, por exemplo. Tudo isso precisa estar adequado às exigências das instituições financeiras.

4. Desenhar um plano de negócios

É bem provável que você tenha que mostrar à instituição que o seu projeto é financeiramente viável – ou seja: que “pára em pé”. O melhor jeito de fazer isso é apresentando um plano de negócios. Ah, importante: algumas instituições pedem que o estudo de viabilidade seja realizado com uma ferramenta da própria instituição. Informe-se sobre isso.

5. Efetuar o pedido de financiamento

Com os 4 primeiros passos resolvidos, vá até a instituição com todos os documentos necessários, as garantias solicitadas e o plano de negócios. Depois de analisar esse conjunto, a instituição financeira vai analisar seu plano e retornará para informar a liberação ou a restrição ao financiamento.

E tem mais alguma coisa que eu preciso saber?

O SEBRAE também oferece três dicas valiosas para ficar atento. Veja:

  • Priorize financiar máquinas e equipamentos, e deixe os recursos próprios para capital de giro. Nas ofertas de financiamento para investimentos fixos, os limites são maiores, os custos são menores, os prazos de pagamento também são maiores e as garantias são facilitadas.
  • Um bom histórico de relacionamento com a instituição tem influência positiva. 
  • A instituição quer correr o mínimo de risco possível. Por isso, é fundamental ter na ponta da língua a justificativa do seu empréstimo, de um jeito super detalhado.

Legal, onde eu posso descobrir essas instituições?

Na “Aba Oportunidades” do meu app você consegue descobrir algumas instituições parceiras que oferecem crédito – algumas delas tem opções PJ. Dê uma olhada por lá.

Leia mais:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é banner-mktplacedireto-2-2.png

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *