Está endividado? Economize cortando a TV por assinatura

tv-reducao-de-dividas-2

A economia brasileira está bem melhor do que há cinco ou dez anos. Embora o Produto Interno Bruto (PIB) tenha crescido apenas 0,9% em 2012 em comparação ao ano anterior, as pessoas têm adquirido produtos e serviços antes impensáveis. Mesmo com certa fartura, não estamos imunes a problemas financeiros. Caso o calo tenha apertado, onde cortar despesas? Se você tem TV por assinatura, talvez seja uma boa oportunidade pensar em diminuir gastos mensais e ficar apenas com a televisão aberta.

É lógico que não é legal a redução de dívidas a partir da TV paga, mas se você trabalha o dia inteiro e tem poucos minutos para usufruir a programação, talvez não faça tanta falta!

Para cancelar a TV paga e ficar apenas com a televisão aberta, é importante que o seu pagamento com a operadora esteja em dia, do contrário, você não vai conseguir cancelar. Caso a dívida esteja alta, o melhor jeito é parcelar a dívida.

tv reducao de dividasAntes disso, porém, é válido se atentar a cláusulas contratuais. Geralmente, as operadoras de TV por assinatura estabelecem contrato de um ano e, caso o consumidor tente cancelar antes disso para fazer redução de dívidas, terá de arcar com multa proporcional aos meses restantes (a multa de 12 meses tem valor de uma mensalidade integral). Caso não se lembre de quando firmou contrato, não titubeie: ligue para sua operadora para se informar.

reducao de dividasQuando estiver apenas com a televisão aberta visando economia, como aproveitar bons filmes sem ter de assistir a “Tela Quente”, “Cinema em Casa”, etc.? Não é simples ficar numa situação dessas, por isso é que serviços como Netflix (filmes on-line antigos e seriados) e Netmovies (menos volume de filmes on-line, mas com vantagem de receber DVDs alugados em casa) estão aí. Seus planos básicos custam R$ 15.

]]>

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *