Janeiro vermelho? Descubra como lidar com as contas de início de ano!

guiabolso

Por Carol Stange, especialista em finanças pessoais

Publicado em 26/01/2021

As contas de início de ano não são leves: IPTU, IPVA, boletos de conselhos  de classe, matrícula, material escolar e uniforme das crianças nos esperam  todo mês de janeiro.

Para muita gente, inclusive, janeiro carrega a brincadeira de “janeiro  vermelho”, em uma alusão às cores dos meses das campanhas mundiais  de conscientização da área da saúde, com foco na prevenção e em um  eventual diagnóstico precoce de determinadas doenças.  

Para que você não precise entrar nessa brincadeira, separei algumas dicas  práticas para você colocar na sua rotina ainda esse ano, mas eu preciso  deixar um alerta: será preciso um pouco de paciência. As sugestões a  seguir, implementadas hoje, refletirão somente no orçamento do ano que  vem. Isso acontece porque o momento imediato pede ações diferentes  das que serão tomadas lá na frente – e para tudo isso funcionar, vamos  fazer um planejamento específico para essas despesas de início de ano. 

Vamos lá? 

1. Aceite que essas despesas não são imprevistos financeiros  

Estamos acostumados a olhar para essas despesas somente no início  de cada ano, mas elas fazem parte da nossa vida financeira e não  podem ser consideradas como imprevistos. Essas contas devem,  inclusive, ser consideradas no nosso custo mensal, afinal elas fazem  parte dos bens e serviços que participam ativamente da nossa vida  cotidiana.  

Se você tem um carro, o pagamento do IPVA é previsto. Se você tem  uma casa, certamente o carnê do IPTU chegará, e por aí vai. É uma  verdade triste, eu sei, mas é preciso encará-la de frente.  

2. Conheça o valor total dessas despesas 

Entendido o primeiro ponto, nós vamos agora planejar para que, no  ano que vem, essas despesas não atrapalhem a sua rotina financeira  e abram portas para o endividamento desnecessário. Além disso, é  esse planejamento que permitirá sobrar dinheiro no final do mês. 

(Explico essa parte com mais detalhes no tópico 3 – aguente firme  porque há uma sequência para chegar lá, ok?) 

Vamos primeiro entender o valor total das despesas que vencem  nesses primeiros meses do ano? Fiz uma simulação a seguir para ficar  bem fácil de aprender. 

Despesas de início de ano Valor total
IPTU R$2000,00
IPVA R$1000,00
Matrícula escolar R$500,00
Material escolar + uniforme R$1500,00
Conselho de classe R$500,00
TotalTotal  R$5.500,00

Se dividirmos R$5.500,00 por 12 meses, isso significa uma poupança mensal específica para essas despesas, de R$458,33. Assim já fica  mais fácil de poupar, não é? Se o objetivo é ficar livre das despesas  de início de ano, a meta é guardar R$458,33 por mês. Transformar os objetivos em metas é um passo importantíssimo na nossa organização financeira. 

3. Ok, tudo calculado. E agora? 

Agora que você já sabe quanto precisa separar para ficar livre dessas  despesas, você pode escolher um investimento conservador para, quando  chegar a hora de pagar essas contas, você tenha dinheiro para pagá-las à  vista.  

Lembre que, ao chegar nesse ponto, você terá ganho algum juros de rentabilidade e deixará de pagar juros de parcelamento no pagamento das  contas. Isso tudo significa, no final das contas, mais dinheiro no seu bolso. Não é um sonho (possível)? 

Mesmo que essa estratégia não funcione ainda nesse ano, é importante  você começar a executá-la, pois certamente um janeiro mais leve te 

aguardará no próximo ano. Não existe colheita sem plantio – é isso que o  planejamento financeiro proporciona: plantio estratégico que traz mais  leveza para o seu dia a dia, sem sofrimento ou pagamento de juros e taxas  desnecessárias. Tudo de bom, não é? 

Baixe o app e conecte suas contas pra acompanhar suas finanças automaticamente e tomar as melhores decisões na palma da mão!

Baixar app Guiabolso

Leia mais:

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *