Novas regras do cheque especial: o que muda no seu bolso

Novas regras do cheque especial

Não estranhe se você acordou em 2020 já com mais descontos na sua conta corrente. Isso porque desde janeiro deste ano passaram a valer as novas regras do cheque especial definidas pelo Banco Central e agora mesmo quem não usa esse crédito pode pagar tarifa.

Em resumo, as novas regras do cheque especial definiram duas principais mudanças: um limite de cobrança do cheque especial e uma nova tarifa que pode ser cobrada de todos que têm mais de R$ 500 de limite. Mas vamos entender melhor como funciona isso….

Novas regras do cheque especial: o que muda

1. Juros de até 8% ao mês

O Banco Central definiu que os bancos poderão cobrar até 8% ao mês de juros do cheque especial. Antes das novas regras, as instituições estavam cobrando, em média, 12% ao mês.

A mudança não significa que este tipo de crédito passou a ser barato. Se fizermos a conta para 12 meses, os juros de 8% ao mês representam um pouco mais de 150% ao ano. 

O resumo da história é que mesmo com a redução da taxa de juros do cheque especial vale mais a pena procurar créditos mais baratos, como o consignado ou mesmo o empréstimo pessoal online.

2. Tarifa de até 0,25% ao mês pelo limite do cheque especial

As novas regras do cheque especial também determinaram que agora os bancos podem cobrar uma tarifa de até 0,25% ao mês de quem tem limite de cheque especial acima de R$ 500. Ou seja, é uma taxa cobrada sobre o que ultrapassa R$ 500, mas todos pagam, mesmo quem não está usando o cheque especial.

Fique atento às datas: a partir de janeiro, a regra já vale pras contas correntes novas que forem abertas. Pra quem tem conta antiga, a cobrança começa em 1º de junho.

Muitos bancos estão divulgando que não vão cobrar tarifa, mas a dica pro seu bolso é já ligar lá e pedir pra cancelar o cheque especial ou diminuir o limite pra R$ 500. 

Se programe para ter uma reserva de emergência. Assim, se tiver algum imprevisto não vai precisar recorrer ao cheque especial para pagar as contas. E de novo, se a emergência foi muito grande e você não tinha essa reserva, pesquise outros tipos de crédito no mercado, como o empréstimo pessoal, porque a troca vai garantir uma boa economia.

Leia também:

+ Como calcular os juros do cheque especial

+ 5 situações que fazem o desavisado entrar no cheque especial

+ Guias confessam como entraram no cheque especial

O que é cheque especial?

Cheque especial é um tipo de crédito automático liberado quando a pessoa fica com a conta corrente negativa. Por ser fácil de contratar, acaba sendo um dos crédito mais caros do mercado. Não é raro ver consumidores se enrolarem quando começam a usar o cheque especial e permanecer endividados por anos. É a famosa bola de neve! Temos um outro post onde explicamos melhor como funciona o cheque especial.

Nossa dica: fuja do cheque especial porque de “especial” mesmo ele só tem o nome!

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *