Pagar o IR em parcela única é um bom negócio

veja-como-e-feito-o-calculo-da-multa-do-ir-1

saúde financeira: parcelar ou pagar o IR em conta única.

Há quem, mesmo tendo o valor inteiro em mãos, prefira pagar em cotas e deixar o dinheiro rendendo em uma poupança, por exemplo. Mas será que vale a pena? A Receita Federal dá a opção de pagar o IR em até oito cotas, mas se você tem a quantia para pagar à vista, ainda que ela esteja aplicada, vale mais a pena para sua saúde financeira fazer o pagamento à vista do que optar pelo parcelamento, principalmente porque, a partir da segunda cota, começa a incidir juros pela taxa Selic – e cuja previsão é que termine o ano em 8,50% ao ano , um patamar ainda mais alto do que está agora, que é 7,25%.

Por exemplo, na parcela de junho você pagará o valor da cota mais 1%, mais a Selic de maio; e julho, você pagará o valor da cota mais 1%, mais a Selic de maio e de junho, e assim sucessivamente até a oitava parcela. Por isso, como o que parece ser juro baixo a princípio, ainda acaba bem maior do que o da maioria das aplicações, com exceção, talvez, àquelas com alto grau de risco. Por isso, vale a pena resgatar valores de aplicações como a poupança, títulos do Tesouro e fundos DI (que têm juro baixo em relação ao IR) e manter a saúde financeira livrando-se logo dessa dívida antes que ela aumente sem necessidade.
Você deve lembrar apenas que o prazo estabelecido para o pagamento da cota única é o mesmo de entrega da declaração, dia 30 de abril. Mas atenção, o prazo é o dia, não o horário: a declaração pode ser transmitida à receita Federal até às 23h59m59s do dia 30, mas o pagamento deve ser feito dentro do horário bancário do mesmo dia. Após isso, já entra como se tivesse feito no dia seguinte, portanto se fizer o pagamento à noite do próprio dia 30 você já deve incluir a multa de 0,33% – lembrando que isso é por dia de atraso até o limite de 20%.]]>

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *