Planejamento financeiro familiar: 4 dicas para fazer o seu

Man calculating his bills while his family are on the sofa

banner-620x100-2

planejamento financeiro familiar

Ter um planejamento financeiro familiar é essencial para quem quer ter controle de suas finanças e proporcionar um futuro seguro para toda a família.

Diferentemente do planejamento pessoal, o modelo familiar requer a participação de todos os que vivem na residência, inclusive filhos.

Por isso, é preciso envolver a todos começando, em primeiro lugar, a colocar no papel todas as despesas e receitas da casa. A partir daí, é possível saber para onde o dinheiro está indo e se ganha mais do que gasta.

O GuiaBolso vai dar todas as dicas necessárias para você fazer seu planejamento financeiro familiar. Confira:

Mapeie as despesas da família

Um planejamento financeiro familiar eficaz passa pelo mapeamento de todas as despesas de quem reside na casa. Comece anotando todos os gastos da família e a forma como eles são pagos. É importante incluir neste mapeamento mesmo as despesas pequenas, como o cafezinho depois do almoço e a bala na saída do colégio, pois, somadas, elas podem ter um grande impacto no orçamento familiar.

O controle pode ser feito por meio de um simples caderninho, planilha de gastos ou um programa de controle de gastos automático, como o GuiaBolso. Uma das principais vantagens deste último modelo é que as despesas são lançadas de forma automática, o que acaba com o risco de se esquecer de anotar algum gasto.

Crie metas para as despesas da família

Para que o planejamento financeiro familiar realmente funcione e ajude a colocar as finanças nos eixos é importante estabelecer prioridades para as despesas de cada membro da família. Assim, é possível identificar de forma clara os gastos que são supérfluos e aqueles que são essenciais. Isto ajuda e muito na hora de identificar onde é possível cortar despesas.

Um bom planejamento financeiro familiar conta ainda com um limite de gastos para cada categoria de despesa da família. Defina o valor máximo que pode ser gasto em cada área (Moradia, Saúde, Alimentação, etc.) e se atenha a esta quantia.

Renegocie as dívidas

Parte essencial para um planejamento financeiro familiar dar certo, a renegociação de dívidas deve ser prioridade. Levante o valor de cada dívida e seu respectivo credor.  Estipule a quantia dentro do orçamento familiar que poderá se destinada para o pagamento de cada uma delas e, a partir daí, parta para negociação com a empresa credora.

É importante não querer abraçar o mundo com as pernas: para não comprometer as finanças, só concorde com uma parcela que você e sua família realmente possam pagar.

Crie uma reserva de emergência

Depois de renegociar e pagar as dívidas, é importante prever no planejamento financeiro familiar uma quantia para ser destinada para uma reserva de emergência. Principalmente no caso de famílias com crianças pequenas e idosos, despesas imprevistas acontecem a todo momento (gasto com medicamentos, material escolar, etc.).

Por isso, é importante reservar pelo menos 15% da renda bruta da família mensalmente para este fundo de emergência. Assim, você não corre o risco de ter que recorrer ao cheque especial, cartão de crédito ou empréstimo pessoal para arcar com uma despesa inesperada.

banner-620x100-1Leia também: – As 4 melhores planilhas de gastos pessoais para o seu dinheiro – 50 dicas para aprender como economizar dinheiro – Planilha de gastos no Excel ou controle financeiro online? – Você conhece a regra dos 50-15-35?]]>

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *