Quem pode solicitar um empréstimo?

blog_quem pode pedir empréstimo

Por Guilherme Campos

Quem tem mais que 18 anos, nasceu no Brasil, tem CPF ativo, é titular de uma conta bancária e consegue comprovar renda pode solicitar um empréstimo. Por outro lado, os bancos, as instituições financeiras e autoridades reguladoras do país não são tão claros sobre o limite de idade para ter acesso ao crédito.

Relação entre o empréstimo e idade

A maior parte das instituições que oferece crédito pessoal ou com garantias costuma estabelecer um limite de idade para liberar o dinheiro. Geralmente os negócios são fechados com mais facilidade com as pessoas de até 70 anos.

O principal argumento utilizado para limitar essa liberação é de quanto maior a idade maior o risco de não quitar a dívida. E a última coisa que as instituições querem é alguém que não vai pagar.

Mas em tempos de maior concorrência e entrada de outros representantes (como fintechs e bancos digitais), é possível ter acesso ao crédito mesmo tendo mais idade. O único problema é que os juros podem ser maiores por causa dos riscos envolvidos na operação.

Já para o empréstimo consignado (com as parcelas descontadas diretamente da folha de pagamento do servidor público ou do benefício do aposentado), uma das condições para liberar o dinheiro é ter menos de 80 anos.

Por que se exige 18 anos e CPF ativo para solicitar um empréstimo?

Antes de bater o martelo e autorizar o empréstimo, as empresas costumam checar os antecedentes do solicitante. Essa consulta seria uma espécie de proteção, para evitar prejuízos caso o cliente não pague.

O risco costuma ser menor quando o cliente não tem o nome sujo e quando honra os compromissos financeiros assumidos.

Mas, como essa possibilidade pode ser quebrada em algum momento, é importante se resguardar. Uma dessas garantias é selecionar as pessoas que podem ser encontradas facilmente, as que realmente são quem dizem ser e ainda conseguem comprovar condições financeiras suficientes para pagar o empréstimo.

E aí que entram as exigências do cliente ser maior de 18 anos, ter CPF ativo e ser brasileiro. Isso facilita a execução de ações extremas, como acioná-lo na Justiça em caso de não pagamento. Já pensou na dificuldade de fazer isso caso a pessoa não tivesse o documento ou fosse estrangeira? A dor de cabeça poderia ser maior que o retorno.

Documentos para solicitar um empréstimo

Esse pente fino na vida de quem pede um empréstimo continua com uma lista de documentos solicitada  (como o RG, o comprovante de residência e o comprovante de renda) pelas empresas. Esses papeis ajudam a confirmar quem está pedindo o crédito, onde ele pode ser encontrado e qual a real capacidade de pagamento.

Em poucos dias – alguns casos, em horas -, a empresa concede uma resposta e libera ou não o dinheiro pedido. O repasse costuma ser feito em uma conta corrente pré-indicada pelo cliente. Dependendo da empresa que conduz o processo, ela pode sugerir que o destino indicado seja uma conta na própria instituição. Isso pode ajudá-la a aumentar o vínculo com quem pede o empréstimo.

Em algumas situações é possível tentar ganhar mais ao assegurar o recebimento de uma taxa de manutenção da conta. Outra fonte de renda pode ser o pagamento de tarifas bancárias para movimentar o dinheiro emprestado.

E quais os cuidados ao solicitar um empréstimo?

Com o aumento no total de empresas que oferecem crédito pessoal e outros tipos de empréstimo é importante comparar preços e buscar sempre a melhor oferta. Outra facilidade com a modernização dos sistemas é a possibilidade de fazer essas consultas sem sair de casa.

Quase todos os lugares onde se pode pedir um empréstimo costuma ter plataformas online. Nelas, é possível não só enviar documentos e negociar o contrato, mas também para fazer simulações de juros, valores que podem ser pegos e total da parcela.

Além disso, é importante ficar atento nos juros que são cobrados e se a empresa costuma ser transparente nesse assunto. Por lei, ela não pode esconder qual vai ser o Custo Efetivo Total do empréstimo (juros acrescidos de todas as outras despesas envolvidas no processo, como taxas e custos operacionais), mas a gente sabe que algumas delas dificultam o acesso a esta informação a apresentando de maneira confusa. Isso faz com que quando a parcela chegue o cliente tome um susto.

Esse comportamento também vale para quem já fechou um empréstimo. É possível renegociar termos com o gerente, ainda mais se existir uma oferta mais vantajosa. E o mais importante: é possível fazer a portabilidade do empréstimo entre instituições. O processo é bem parecido com o que acontece no sistema de telefonia.

E uma dica de ouro: como o Guiabolso conhece com bastante intimidade a rotina de ganhos e gastos dos usuários, costuma oferecer as melhores condições para aquele momento específico. Isso também vale para o empréstimo, com os parceiros que estão na plataforma online de crédito do aplicativo e costumam oferecer condições melhores que os do banco de origem dos usuários.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *