Tudo sobre o novo sistema de pagamento - PIX

Tudo sobre o PIX

Em Fevereiro deste ano, o Banco Central anunciou oficialmente o PIX. Esse novo sistema de transferências e pagamentos instantâneos que vai começar funcionar dia 16 de novembro deste ano, mas já é possível realizar o cadastro…. E é por isso, que você tem escutado todos os bancos falarem sobre o PIX! O PIX é um sistema de transferências de dinheiro e pagamentos instantâneos que vai permitir transações 24 horas por dia, inclusive em fins de semana e feriados, num custo de R$0,01 a cada transação. Mas, é preciso levar em conta que essa não é apenas mais uma modalidade de serviço: o PIX promete avanços tão importantes que poderá mudar toda a dinâmica do mercado financeiro no Brasil.

Nesse artigo você vai entender:

Como surgiu o PIX?

O Banco Central criou o PIX pautado em cinco grandes e claros pilares:

  • disponibilidade: ou seja, possibilidade de uso 24 horas por 7 dias na semana.
  • velocidade: a operação deve ser realizada em poucos segundos.
  • conveniência: toda experiência é focada no usuário.
  • segurança: você fica dependente de um banco e ainda tem ainda mantém todos os seus dados seguros.
  • multiplicidade de casos de uso: você pode realizar transferências e pagamentos de qualquer tipo e valor entre pessoas e/ou empresas.

Tudo isso com o objetivo de trazer eficiência, competição e dar mais acesso para o mercado. Além de que segundo relatório do Morgan Stanley, estima-se que, em 2019, os bancos brasileiros ganharam R$ 2,2 bilhões em processamento de TED/DOC.

É obrigatório o cadastro do PIX?

Não, o cadastro do PIX acontece pela chamada “chave de acesso” e você não é obrigado a cadastrar, ainda que seja altamente recomendado pelo Banco Central, por questões de segurança e, principalmente, para que o sistema funcione de maneira eficácia.

Como funcionará o cadastro do PIX?

O Banco Central determinou que a criação das chaves Pix começasse em 5 de outubro. Mas autorizou as instituições financeiras fizessem um pré-cadastro. No pré-cadastro, o cliente insere os dados, escolhendo como será a chave Pix. Para que a chave passe a valer, o cliente terá que validar os dados após 5 de outubro. Ou seja, se você fez um pré-cadastro mas se arrependeu, é só não validar os dados e a operação vai estar automaticamente cancelada!

O que é chave de acesso?

A chave Pix representa o endereço da sua conta no Pix, da mesma forma que um número no título de eleitor identifica a pessoa na hora de votar. Ou seja, você não vai mais precisar passar todos aqueles dados (nome completo, conta, agencia, cpf) na hora de transferir, é só passar a chave e a pessoa já vai conseguir realizar a operação.

Posso usar uma mesma chave para vários bancos?

Pode! As chaves PIX vão substituir todas aquelas informações que você tem que passar na hora de fazer uma transação comum (cpf, nome completo, conta, agência). As opções de chave são: cpf, endereço de e-mail, seu número de telefone ou uma sequência de número aleatórios. Ou seja, você pode cadastrar as quatro chaves em um único banco ou uma chave em cada banco que você tiver, como por exemplo:

Imagine que você tem uma conta no Nubank, Santander, Itau e Banco Inter. Você pode cadastrar cada uma das chaves em um banco.

Nubank: CPF

Santander: endereço de e-mail

Itaú: número de telefone

Banco Inter: sequência de números aleatória.

Ou você pode cadastrar todas as chaves em um único banco e suas opções ficam assim:

Nubank: CPF, endereço de e-mail, número de telefone e sequência de números aleatória.

Santander: sequência de números aleatória.

Itaú: sequência de números aleatória.

Banco Inter: sequência de números aleatória.

Cada uma das suas sequência de números aleatória, deve ser diferente da outra. Dessa maneira, suas transações PIX vão ser direcionadas para o banco que você deseja.

Qual banco escolher para cadastrar meu PIX?

Você deve cadastrar sua chave no seu principal banco, uma vez que toda transferência e recebimento PIX será por via desse banco.

É seguro usar o PIX?

Todos os processamentos são feitos através do Banco Central, que garante que o meio é tão seguro quanto DOC e TED. O sistema foi desenvolvido com a participação dos setores de tecnologia e segurança dos principais bancos do país.

Além disso, você contará com autenticação com senha e uso de token e com as rígidas e minuciosas regras impostas pelo Banco Central e pela Lei de Proteção de Dados Pessoas (LGPD).

Mas vale ter alguns cuidados:

  1. Não acesse links encaminhados por e-mails, postagens em mídias sociais ou SMS provenientes de pessoas e órgãos estranhos. 
  2. Confira antes o endereço do site em que você está inserindo os seus dados.

Terei que pagar para usar o PIX?

O serviço será gratuito apenas pessoas físicas, inclusive MEIs (microempreendedores individuais), com algumas exceções. 

Pessoas físicas e MEIs poderão ser cobradas pelo uso do Pix em duas situações: quando receberem recursos via PIX para pagamento por venda de produto ou por serviço prestado e se usar os canais presenciais ou de telefonia para realizar um Pix, quando os meios eletrônicos estiverem disponíveis. Ou seja, poderão ser cobradas tarifas pela prestação de serviços vendidos simultaneamente à transação de pagamento, um exemplo: quando a pessoa tem um crédito extra para fechar uma compra. 

O preço definido cobrado do BC das instituições participantes no Pix será de R$ 0,01 (um centavo de real) a cada 10 transações. 

Posso transferir para qualquer banco por meio do PIX?

Isso vai depender se o seu banco vai utilizar o PIX. Se você já tem conta em qualquer instituição financeira e se cadastrou no PIX, as transferências para outras contas PIX estarão liberadas para você a partir de novembro. 

Existe limite de valor para transferir?

Os bancos participantes do PIX poderão estabelecer limites máximos de valor para iniciação de um Pix, por usuário pagador, mas não poderão estabelecer valores abaixo da metade daquele que é feito por TED. Ou seja, se um banco oferece até R$100 mil para fazer um TED, o valor limite do PIX não pode ser menor que a metade, ou seja R$50 mil!

Qual a diferença entre o PIX, o GBPay, o DOC e a TED?

PIX e TED

O Pix estará disponível 24h por dia, 7 dias da semana, enquanto a TED funciona somente durante dias de semana, em um horário específico e, na maioria dos bancos tradicionais sob a cobrança de uma tarifa.

Além disso, para realizar uma TED é preciso ter em mãos todos os dados pessoais de quem receberá o valor – CPF, nome completo, agência e conta; já no caso do Pix, é necessário apenas ter uma chave para fazer a transferência.

PIX e DOC

Já no caso da transferência via DOC, elas são concluídas um dia útil após serem realizadas. 

Ou seja: enquanto o Pix é imediato, as transferências DOC levam um dia útil para serem feitas.

PIX e GbPay

Com o GbPay as transferências acontecem 24×7 e instantâneas, mas respeitam um teto limite para transferir, que segue a mesma linha dos bancos: valor mínimo de R$1,00 e máximo de R$5.000,00. Ou seja, você não precisa esperar até novembro pra começar a transferir de graça!

O PIX vem pra mudar e democratizar o sistema financeiro. Você já esta preparado pra transferir com o Guiabolso hoje?

Leia mais: