Tudo o que você precisa saber sobre o Imposto de Renda 2021

Imposto de renda 2021

Publicado em 05/03/2021

Começou no dia 01 de Março o prazo para fazer a declaração do Imposto de Renda 2021 e que deve ser entregue até 30 de abril!

A declaração do Imposto de Renda é obrigatória para quem recebeu um total de rendimentos tributáveis (salário, bônus na empresa etc) igual ou maior que R$28.559,70 em 2020.

Novas regras para o Imposto de Renda 2021.

As principais mudanças na declaração do IR 2020 para o IR 2021 são em relação ao auxílio emergência. Segundo a Receita Federal, todos os valores recebidos do auxílio emergencial são rendimentos tributáveis e, por isso, devem ser declarados no Imposto de Renda, na ficha Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica.

Outra mudança foi que os beneficiários do auxílio que receberam, no ano, mais de R$ 22.847,76 em rendimentos tributáveis em 2020 terão que devolver o auxílio emergencial ao governo.

Organize suas finanças no Guiabolso

Quem precisa declarar o IR em 2021?

Neste ano, como dito anteriormente, a declaração do Imposto de Renda é obrigatória para os brasileiros que tiveram, em 2020, mais de R$28.559,70, mesmo teto que em 2021, em rendimentos tributáveis – salários, horas extras, férias, pensões, benefícios do INSS, entre outros. Quem recebeu menos que isso fica isento de declarar o IR.

Mas também deve declarar o Imposto de Renda quem:

  • Obteve receita bruta superior a R$ 142.798,50 com atividade rural; ou que pretenda compensar, no ano-calendário de 2020 ou posteriores, prejuízos de anos-calendário anteriores ou do próprio ano-calendário de 2020;
  • Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, superiores a R$ 40.000;
  • Obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  • Teve, em 31 de dezembro, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00 (trezentos mil reais);
  • passaram à condição de residente no Brasil em qualquer mês;

Faixas de renda e alíquotas do IR em 2021.

As faixas de renda que determinarão qual alíquota será aplicada sobre os rendimentos tributáveis para cada pessoa não mudarão neste ano. 

A tabela do Imposto de Renda 2021 traz três informações chaves: base de cálculo do IR, alíquota que incide sobre cada faixa de renda e parcela a deduzir do Imposto de Renda da Pessoa Física. 

Mas o que significa base de cálculo, alíquota e parcela a deduzir do IR?

Base de cálculo: é o valor utilizado na conta do Imposto de Renda. Esse valor corresponde aos rendimentos tributáveis de cada pessoa – ou seja, aqueles rendimentos sobre os quais incide o IR, como salários, aluguéis recebidos, pensões, prêmios e pró-labore.

Alíquota: é o percentual utilizado para calcular o valor do Imposto de Renda em cada faixa de rendimentos. Ela representa a porcentagem que você deveria pagar em impostos de acordo com sua renda – sem a parcela a deduzir. Por exemplo: uma alíquota de 15% indica que você pagaria o valor correspondente a 15% do total de seus rendimentos sem considerar a parcela a deduzir.

Parcela a deduzir: é a quantia que deve ser descontada do IR considerando a faixa de isenção. Isso acontece porque os rendimentos até R$22.847,76 não são tributados – ou seja, não entram no cálculo do Imposto de Renda. 

Declaração pré-preenchida

Uma novidade importante é a tentativa da Receita Federal de facilitar a declaração pré-preenchida, que vai estar disponível a partir de 25 de Março.

Para isso, era necessário fazer a declaração via e-CAC e ter certificação digital. A ideia da Receita é retirar essa obrigatoriedade e ampliar o escopo de contribuintes que pode utilizar o método de declaração.

Organize suas finanças no Guiabolso

Prazo para declaração do IR 2021

O prazo para declaração do IR vai seguir o prazo dos últimos anos e deverá ser feita entre o dia 01 de Março até 30 de Abril. Tendo dois meses para acertar suas contas com a Receita Federal.

Lotes de restituição do Imposto de Renda

Assim como no ano passado, o cronograma de restituição do IR foi antecipado. Serão cinco lotes pagos entre maio e setembro.

Os 5 lotes serão pagos de acordo com a data de entrega da declaração. Ou seja, quanto antes for entregue a declaração, antes é paga a restituição – exceto em categorias que têm prioridade legal: contribuintes com 60 anos ou mais, com prioridade especial aos maiores de 80 anos; portadores de deficiência física ou moléstia grave e contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Ainda não existe uma forma exata de saber em qual lote você receberá sua restituição. O que já se sabe é que, quanto antes for entregue a declaração, antes o contribuinte deve receber sua restituição.

Onde declarar?

O formato continua o mesmo, e pode ser entregue pelas plataformas antigas, sendo elas:

  • pelo computador, por meio do Programa Gerador de Declaração (PGD) relativo ao exercício de 2020, disponível no site da Receita Federal;
  • na página do próprio Fisco, pelo navegador de internet (com certificado digital);
  • pelo serviço Meu Imposto de Renda, disponível para tablets e smartphones, no Google Play e Apple Store

Para acompanhar suas finanças de maneira prática e na palma da mão, baixe o Guiabolso e conecte suas contas.

Baixar app Guiabolso

Leia mais:

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *