Tudo o que você precisa saber antes de pedir um empréstimo pessoal

cdb-ou-fundo-di

Um dinheiro extra na hora do aperto às vezes se faz necessário. Imprevistos como a manutenção no carro são responsáveis por desequilibrar o orçamento. Quando esse tipo de situação acontece, é comum recorrermos a parcelamentos da fatura do cartão de crédito ou ao empréstimo pessoal. O que muita gente não sabe é que os juros dos cartões e cheque especial costumam ser bem maiores que os de um empréstimo. Abaixo, veja como manter suas contas em dia recorrendo ao empréstimo pessoal.

Faça um mapeamento de seus gastos

Avalie suas despesas e veja onde pode cortar gastos. Mesmo se você não conseguir economizar o suficiente para resolver sua situação, precisará que sobre dinheiro no fim do mês para quitar o empréstimo. Veja se não pode diminuir a quantidade de idas a restaurantes ou comprar produtos de marcas mais baratas no mercado, duas despesas que pesam bastante no orçamento do brasileiro hoje. Fazer o controle financeiro é essencial para não deixar de pagar alguma parcela e acabar se endividando ainda mais.

Avalie o objetivo de pegar um empréstimo

Identifique o motivo pelo qual você precisa do dinheiro. É fundamental ter clareza sobre a real necessidade do crédito. Utilizá-lo para comprar carro, pagar viagens ou ter mais dinheiro para fazer compras que não estejam planejadas podem lhe colocar em uma situação financeira ainda mais complicada. Nos casos de renegociação do cheque especial ou da dívida com cartão de crédito, um empréstimo poderá diminuir as taxas de juros para menos da metade. Também é aceitável usar o dinheiro para imprevistos relacionados à saúde na família, por exemplo, ou ainda para empreender ou fazer aquela reforma em seu imóvel que está adiando faz tempo. Mas é fundamental que seja feito um planejamento para quitar a dívida.

Analise se o empréstimo é a melhor saída

Pegar um empréstimo é realmente necessário ou é possível conseguir a quantia desejada economizando durante algum tempo? Se a resposta for sim, é aconselhável que junte o dinheiro necessário e não pegue o empréstimo, evitando pagar juros desnecessariamente. O Guiabolso pode te ajudar a economizar

Escolha a instituição financeira

Depois de definir a necessidade de um empréstimo pessoal, é hora de escolher a instituição que vai fornecer o crédito. O ideal é que você converse com o gerente do seu banco para descobrir quais são as taxas cobradas — além das facilidades de pagamento, é claro. Mas não fique restrito somente ao seu banco. Outras instituições financeiras também oferecem empréstimos pessoais e, às vezes, até mais baratos. A simulação pode ser feita pela internet.

É sempre importante ficar atento à cobrança de juros altos! Sendo assim, procure se informar sobre o Custo Efetivo Total (CET) da dívida, que mostra todas as alíquotas que devem ser pagas nessa transação (isso inclui os seguros e os impostos).

Planeje o pagamento

 Antes de entrar em uma dívida, tenha em mente como sair dela. Um empréstimo não pode se tornar uma dívida com a qual você não consiga honrar. É importante ressaltar que o valor das parcelas a serem pagas mensalmente não ultrapasse 15% de sua renda mensal. Tenha cautela ao aceitar propostas de suaves prestações, pois elas geralmente são muitas. É importante você considerar sempre o Custo Efetivo Total (CET), que inclui todos os custos relacionados ao empréstimo, como juros e tributos. Também fique atendo ao contrato e aos encargos como multa e comissão de permanência, em caso de atraso no pagamento das parcelas. Verifique ainda se outros grandes custos surgirão, como a faculdade de um filho ou a compra de um imóvel, por exemplo. Não se esqueça que imprevistos também podem ocorrer, por isso, evite acumular dívidas e priorize compras é vista para não comprometer seu orçamento por um período a perder de vista. 

Leia o contrato

 Infelizmente, grande parte das pessoas não têm o hábito de ler os contratos de empréstimo. No entanto, a leitura do documento é fundamental (e obrigatória) para que não haja surpresas no meio do caminho, tais como taxas de manutenção, reajustes de valores, possibilidade de cancelamento somente mediante de pagamento de multas, entre outras coisas.

Levante os documentos necessários

 Em geral, as financeiras solicitam os seguintes documentos para a realização do empréstimo: CPF, RG, comprovante de endereço e comprovante de renda. Estes documentos podem variar de acordo com as solicitações de cada instituição, mas todos são relativamente fáceis de conseguir. As instituições financeiras que oferecem crédito online costumam ser menos burocráticas e mais rápidas no processo de liberação de dinheiro.

Entregue seus documentos e aguarde

 Após escolher a financeira ou banco que oferece a melhor solução de crédito para a sua necessidade, é só entregar todos os documentos solicitados e aguardar. Mas atenção: entregar os documentos e não possuir restrições no CPF não é garantia de que o empréstimo será liberado. Cada empresa tem sua política de aprovação, que pode incluir históricos de pagamento, renda disponível, perfil econômico e a existência de outros empréstimos. Por isso, não faça dívidas contando com o dinheiro do empréstimo antes de ter um retorno da instituição financeira.

Mantenha o foco nas dívidas mais importantes

 Antes de contratar um empréstimo pessoal, analise bem a sua situação financeira para ter certeza que há a real necessidade de pegar dinheiro emprestado com uma instituição. Caso você recorra a um empréstimo, tenha foco. Faça um levantamento das contas que você tem a pagar e direcione o dinheiro para esse fim — o pagamento de faturas de cartões de crédito ou do cheque especial, por exemplo, é importante para evitar os juros altos cobrados pelo banco.

Há outras situações emergenciais em que o dinheiro do empréstimo pode ser gasto, como problemas de saúde ou reformas inadiáveis no seu imóvel. Já os gastos com viagens e automóveis, por exemplo, podem ser evitados, a fim de não complicar ainda mais a sua vida financeira.

Organize a sua vida financeira

Também é importante ter um controle de toda a sua vida financeira. Separe um caderno ou uma pasta no computador com todas as suas receitas e despesas, e controle o montante que você tem disponível por mês. Tenha a sua disposição o número de prestações do seu empréstimo pessoal, bem como o valor a ser pago, o tempo estimado para quitar a dívida, a taxa de juros, os impostos incidentes, os seguros e a possibilidade de amortizar a dívida. Se for usuário do aplicativo GuiaBolso, você pode colocar todas as parcelas no planejamento e assim já se programar para os pagamentos.

Procure saber, junto à instituição financeira, se existe diferença entre pagamentos mensais e anuais. Também é importante se manter informado sobre os encargos do contrato, como multas e comissão de permanência — em caso de atrasos no pagamento.

Fique atento aos golpes

 É importante estar sempre atento aos e-mails e às ligações de supostas instituições financeiras oferecendo crédito fácil. Esse tipo de situação infelizmente é comum e, se você fornecer as suas informações pessoais, pode ser vítima de um golpe. Nunca informe seus dados via e-mail ou telefone. Instituições financeiras não realizam esse tipo de procedimento (de oferta de empréstimo) sem que você tenha solicitado.

Agora que você já sabe tudo sobre o empréstimo pessoal, deixe um comentário contando a sua experiência com esse tipo de transação.

620x100-foto
Leia também:

– Compare 6 opções de empréstimo pessoal online
 As 4 melhores planilhas de gastos pessoais para o seu dinheiro
 Planilha de gastos no Excel ou controle financeiro online?
 Planilha de gastos mensais: como fazer?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *