Nome sujo: como consultar? Como resolver?

Overworked businessman

nome sujo

Ficar com o nome sujo implica consequências bastante negativas, que vão desde a falta de acesso a crédito até a perda de uma vaga de emprego. Por isso, é tão importante estar atento à data de vencimento das contas e acompanhar o status do seu CPF no SCPC  (Serviço de Proteção de Crédito ao Consumidor) e no Serasa. A boa notícia é que a consulta agora é online e gratuita.

Ambos os portais informam quais foram as dívidas protestadas, seus respectivos valores e os telefones de contato do credor.

Além da inadimplência de contas, empréstimos e carnês, existem outros motivos que podem fazer com que seu nome entre na lista de negativados. Um deles é a emissão de cheque sem fundos. Se o portador tentar descontar o cheque duas vezes e sua conta não tiver saldo, ele já pode solicitar a inclusão do seu nome na lista de inadimplentes. 

Nome sujo: como resolver?

Se seu nome estiver sujo, veja como você deve agir:

– Procure o credor para quitar ou renegociar a dívida. Pergunte o valor necessário para quitar suas dívidas integralmente hoje.

– Tem dinheiro para pagar à vista? Peça desconto! Se o pagamento for feito à vista, vale tentar negociar um bom desconto nos juros.

– Não aceite a primeira proposta! Conhecendo o valor da dívida à vista, você poderá fazer sua contraproposta para os juros e as parcelas mensais. A Calculadora do Cidadão, do Banco Central, pode ajudar.

– Vai parcelar? As parcelas devem caber no orçamento mensal. Isso é fundamental para que você não volte a se endividar daqui a alguns meses. Para isso, é fundamental fazer um mapeamento detalhado do seu orçamento, priorizando suas despesas na seguinte ordem: 

1. Gastos essenciais: despesas com moradia, alimentação, transporte, saúde e todos os itens indispensáveis para o seu dia-a-dia. Esses gastos são prioritários e devem comprometer no máximo 50% da sua renda. 

Leia mais: Economia doméstica: como colocar as contas de casa em ordem? 

2. Prioridades financeiras: para quem vai renegociar suas dívidas, esta categoria é muito importante. Parcelas de empréstimos e financiamentos entram nesta faixa, que deve comprometer no máximo 15% da renda. 

DICA: Se as parcelas das suas dívidas ultrapassarem a faixa dos 15% da renda, o critério para equilibrar as despesas é rever primeiro os gastos ligados ao estilo de vida e, depois, se necessário, os essenciais. Na prática, isso quer dizer que se suas dívidas tomarem 20% da sua renda, por exemplo, os gastos com estilo de vida devem responder por 30%.

Leia mais: Como economizar dinheiro: 5 passos fáceis para você começar agora  

3. Estilo de vida: outra categoria crucial para quem precisa cortar gastos para conseguir pagar suas dívidas. Os gastos com estilo de vida envolvem todas as atividades que dão prazer: hobbies, cursos, restaurantes e academia são exemplos. 

Leia mais: Dicas para controlar os gastos com lazer

– Depois de regularizar cheques sem fundos, peça um recibo. É fundamental solicitar um recibo ao portador quando a dívida for quitada. Essa será a prova que você terá que apresentar ao banco para ele solicitar a retirada do seu nome da lista de inadimplentes. – Acompanhe seu CPF. A partir do momento em que você quitou a dívida ou pagou a primeira parcela da renegociação, o banco tem até cinco dias úteis para retirar seu nome da lista de negativados. Fique de olho!  ]]>

Deixe seu comentário aqui

Seu enderço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *